quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

ESQUIZODRAMA DO AMOR

                                   ESQUIZODRAMAS DO AMOR

                                                                        JORGE BICHUETTI





                                                                        
O amor é espaço de vida, vida-desterritorialização...
Tão é que o narcisismo tende capturar as forças do amor e estriá-lo...
Vivemos a potência do amor na impotência da falta: é a subjetividade edípica, o capitalismo e suas corporeidades...
Amar é não apenas possuir, triangular e reeditar outros vínculos, agora distantes; amar é partilhar, doar-se e alegrar-se, con-viver na plenitude da florescência e frutificação...
... Inegavelmente, sofremos... amamos na contramão.
Assim, urge trabalhar em nós a potência do amor, potência caosmótica, criadora de vida e de vida plenificada:

                       Esquizodrama do Amor ( 1 )

Aquecimento:
- alongamentos ao som de Edith Piaf...
- valsa: com sedução, romantismo, sensualidade...
- tango – com respiração onde se busca produzir um som vindo do ventre...
* Movimentos, danças, trocas... com o auxílio técnico de maquiagem, lenços, chapéus, echarpes, tudo que possa dar mais expressão...

Movimento 1
Baseando-se na exposição de Guattari ( micropolítica do desejo ), organiza três grupos e estes realizam cenas de amor:
- amor-edípico (dependente );
- máquinas –celibatária ( amor livre, sem vínculo ) ;
- solidão compartilhada ( amor-terno suave- e comprometido )

Movimento 2 : Trabalho – trocas de papéis, solilóquios, problematização...

Movimento 3: Construção de cenas com a consigna “ o que posso no amor-suavidade e não ousei”

Movimento 4 : construção coletiva de uma perfomace do amor –suavidade

Fechamento: valsa-ternura e bailado do amor-generosidade-partilha e alteridade.

                       Esquizodrama do amor (2 )
                                  Maria de Fátima de Oliveira

*** Após o vivenciado, se escreve, individualmente: cartas de amor.
E elas são lidas num ambiência com velas, rosa, luz baixa etc..
É uma agregação de sua oficina cartas de amor. desenvolvida durante anos na clínica do Caps.


Cartografia do Amor


Aquecimento - Flores, velas, cantos, Dança da Mamãe Oxum
Paisagem 1. A ilha das poesias
Paisagem 2. Enseadas de Flashs/fotos e imagens
Paisagem 3. Redemoinhos musicais
Paisagem 4. Conchas, corais do mar das lembranças
Paisagem 5. Histórias que o barco contou
Paisagem 6. O vento-norte de um amor-acontecimento
Paisagem 7. Miragens-Sonhos de uma noite de verão, de amor...
Paisagem 8. Revoada de pássaros/lendas de amor.
GT - afetos/ressonâncias, linhas...
Relatório
              
             Esta é uma experimentação de pesquisa...
             Em cada paisagem, existem um coletâneo de coisas que se escolhe uma ao acaso ( por exemplo, poesias, mísicas, lendas, fotos, contos etc...) e outras paisagens paéis em branco que o grupo preenche que suas histórias ( lembranças de amor, um sonho não vivido, um amor-acontecimento próprio ou de outrem etc)....
             Cada grupo, então, faz uma conversa e produz uma performace e um relatório das afetações.
              E do produto final, cartograva-se o amor entre todos...
 

2 comentários:

patriciaayer disse...

Estou encantada!Com que intimidade de ruas e praças e de bairros ao alcance do pé, vc-e Fátima tb- compartilham suas experimentações muito mais que enriquecedoras: intensas e belas sugestões, livres como os luminosos cristais iguais aos que a chuvinha da tarde deixa no ar.Obrigada!Como é bom um pouco de ar!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

A experimentação do novo é acasalamento de Apolo e Dionísio, o fogão-de-lenha e o café, a viola e a seresta, a alegria, tudo compondo um campo de nuvens prateadas onde lendo a vida nas cores de uma bolha de sabão.Beijos, beijos e beijos jorge