domingo, 21 de fevereiro de 2010

MESTRES DO CAMINHO: AS VEREDAS DA LOUCURA

QUE PENSAMOS SOBRE A LOUCURA?


" De homem a homem verdadeiro, o caminho passa pelo homem louco." michel foucault
***
" A ciência não averigou ainda se a loucura é ou não é a mais sublimes das inteligências." edgar alan poe

" Todos nascemos loucos. Alguns permanecem." beckett
********
" A loucura é vizinha da mais cruel sensatez. Engulo a loucura porque ela me alucina calmamente."
clarice lispector


"... E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música." nietzsche
***
"... Mas, na minha opinião, o homem é tanto mais feliz quanto mais numerosas são as suas modalidades de loucura."
erasmo de rotterdam
***
" Sem loucura que é o homem,
Mais que a besta sadia,
Cadáver adiado que procria."
fernando pessoa


4 comentários:

PSICOARTE disse...

A loucura de ser está na magia do abismar-se com o que afugenta as correntes carmesins da pele, sulcando todo a esmeralda de um dia poder suar como uma pedra de gelo no verão.
Derreter-se para se inventar...da pura matéria prima...se reciclar.
Quando for noite, e os ponteiros do relógio na parede amarelada não puder mais te contar sobre o tempo, quem sabe o bailar das folhas envolvidas pelo zéfiro majestoso lhe diga que já é hora?

O ser pode tudo, desde que o tudo possa ser!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

A loucura é voragem, viagem... Asas, garras... pegas da imensidão.
Um dia, deixamos o cômodo da esteira e ousamos tecer na desrazão com fios invisíveis uma escada para subir nas estrelas e brincar, bailar e fazer amor com a Lua.
Delirrar é poetizar a lágrima, deixando-a refletir as cores da aurora.
Devir-passarinho e cantar... E cantando aninhar-se no coração do infinito.
Devir-índio e guerrear... E guerrear, sonhando e tatuando no próprio corpo as garatujas de uma utopia
Ave, loucura! Rosá-rio do amanhã.
jorge

Clarissa disse...

"cinco horas da tarde"... "que história, que calor, que vida!",
enquanto por aqui, náufrega, navego...

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Navegar é preciso, clarissa...
Eu? me levo nas ondas do infinito...
entre.... abraços de amigos e o vazio da necessidade de isolar-se.
Para que?
para supotar a vida quando os amigos não estão por perto...
Um corpo pode... amar, sonhar, derivar-se... e naufragado, emergir e devir asas , voando para além do que antes era possível.
beijos jorge