quarta-feira, 12 de maio de 2010

DIÁRIO DE BORDO: PASSOS NO CAMINHO...

                                                    ENTRE LIVROS E SONHOS
                                                                 jorge bichuetti

  Quando se encontra uma preciosidade que nos ajuda a viver e sonhar, algo ocorre de imediato: desejamos partilhar e multiplicar a estrela que clareou nossos passos.
  Um livro, um tesouro: Gilles Deleuze e Félix Guattari - Biografia Cruzada de François Dosse.
   Nele, incontáveis reflexões e o cotidiano destes dois mestres.
   Uma nota me encantou: a potência do e...
    Para eles, a fertilidade do encontro e de suas produções se deve à transformação do é em e, não no sentido de uma relação particular e conjuntiva,mas sim, no sentido de uma implicação de toda uma série de relações.
   No e encontra-se o campo fértil da possibilidade de invenção, da gagueira criativa e das multiplicidades.
   O e não é um ou outro, está sempre entre..., é a fronteira. uma linha de fuga e fluência
    E é aí o espaço dos devires e dos processos revolucionários...
    Neste sentido, no prefácio de Psicanálise e transversalidade, Deleuze lia os escritos de Guattari, afirmando que tudo consistia na morte do Ego.
    Igualmente, derivam esta potência ( e e suas multiplicidades) para definir as tarefas negativas da esquizoanálise como raspagem da identidade, do instituído, dos registros e controles do corpo cheio com órgãos, da vida de repetições - cinza e servil, mesmissse mediocre.
  Ousemos inventar o novo... Ousemos ser metamorfoseantes: uma multiplicidade viva e insurgente.
   Já que hoje estamos narrando o nosso pão nosso de cada dia: sugiro aos amigos o filme espanhol " Salvador", é a história de um anarquista que no sorriso e serenidade que enfreta as forças fascistas, o cárcere e o fusilamento, revela a potência do que pode um corpo quando este se sincroniza com a sua posição de desejo.
   Assim, passo a passo, caminho: de noite, leio Mario Benedetti.

Amig@s, divulguem este blog e formemos uma sociedade de trocas multiplicitárias.
Não deixe de participar... envie textos, poesias...
Registre-se como seguidor, pois assim temos os elos solidificados para que efetivemos uma ruptura com o modo individualista e corporifiquemos novas sociabilidades.
A solidão é a cruz pós-moderna...

6 comentários:

Marta Rúbia de Rezende disse...

Veja aqui um twett sobre o CAPS Maria Boneca: http://twitter.com/martarezende

Tenha um Twitter, Jorge. É muito bom. 140 toques e está sua mensagem no mundo, um mundo muito flexível, de fluxos e instensidades. Não é profundo, é superfície, como a pele.

beijo
Marta
Hoje havia escrito outras coisas, mas deu erro ao enviar as mensagens.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

A profundidade de uma vida ou de um pensamento ou de um de um sonho se dá no emaranhado que forma entre singularidades , multiplicidades e devires...
É pele, vísceras... Afetação.
Um vôo no céu, um semente no chão abraços jorge

Marta Rúbia de Rezende disse...

Jorge querido, muito profundo tudo que escreve. Sou principalmente das profundezas, dos abissais: mineira, mulher, canceriana, dançarina de butô (a dança das vísceras).
Atualmente tenho descoberto as superfícies, as dobras da pele, os oceanos. O surfe.
Beijo

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

o oceano é um terrítorio liso que se move, provocando possibilidades de mergulho entres flores e peixes e de surfar, colocando corpo livre no ar, entre os arrepios da pele e o azul alto que nos chama à exploração das n potências que estão na realteridade da vida clamando por uma insurgente e rebelde atualização.
jorge

Marta Rúbia de Rezende disse...

Acabo de entregar o meu trabalho. Cansaço. Vou dormir pois há dias não sei o que é uma cama. Amanhã, um novo dia. Novos desafios, novas alegrias.
beijo
Marta

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Necessitamos colocar na ordem do dia o ócio criativo e o direto à preguiça. bom descanso abraços jorge