sexta-feira, 28 de maio de 2010

POESIAS: DEVIR TERNURA

                                                                 LUA
                                                                        jorge bichuetti

Quantas vezes sonhei
com alguém ou com algo
que me amasse, assim,
feito carinho de anjo...
Com uma paixão
incondicional...

Chegou, você, me lambendo
e eu nem notei o amor;
depois, te vi me seguindo
e percebi teu ardor...
Eras um animal...

Na solidão, me afagas
e me ponho , logo, a brincar...
No caminho, nunca sinto o peso
desta besta rotina bossal...

És a ternura... o luar...
Uma Lua no meu coração...
Assim, se ando na Terra,
o Céu adormece em mim...

AMIGO
jorge bichuetti

Quanto choro e desepero-me,
surges, manso e terno,
e me enxugas as lágrimas
com palavras de ternura
com teu silêncio cúmplice
com tua presença serena,
erguendo-me com tua mão...

Quanto me alegro e me encanto,
apareces num instante
e  sustentas o meu canto
com sorrisos e carinhos
com o perfume da alegria
com cores para os meus sonhos,
florindo, assim, meu coração...

Na alegria e na tristeza, és
companhia, compreensão;
uma mão e um alento
que me parece, à luz do tempo,
que és em minha vida errante
a própria presença e Deus...

















11 comentários:

Maria Alice O. Dias disse...

Olhe só quem eu vejo! Que delícia!
LUA, LINDA! Nossa irmã de jornada.
LUA divide conosco o privilégio de ter uma alma. Por trás dessa beleza, há uma história.

"Olhe no fundo dos olhos de um animal e, por um momento, troque de lugar com ele. A vida dele se tornará tão preciosa quanto a sua e você se tornará tão vulnerável quanto ele. Agora sorria, se você acredita que todos os animais merecem nosso respeito e nossa proteção, pois em determinado ponto eles são nós e nós somos eles". Philip Ochoa

Olhe só o que leio sobre quem eu vejo! Que belezura! Poesia que nasceu do coração de quem tem uma grandeza espiritual infinita, uma bondade de caráter, possuidor dos mais altos conceitos de ética, o objetivo de toda evolução.

Dr. Jorge, afetuoso abraço.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Maria Alice, A lua nossa... Anjo, menina... Fogo, sereno. Um carinho de meiguice, um pulo arteiro de guerreira.
Como me honra sua amizade!
Você é estrela viva da solidariedade viva e permanete, do carinho e ternura, você é do mesmo céu onde brilha a Lua... Vieram de lá...
Obrigado, siga com seus sonhos e sua dignidade, rebelde e insurgente, terna e amorosa.
jorge

Anônimo disse...

Dr. Jorge Bighuetti,

Muito me emocionou o que senhor disse sobre minha grande amiga Maria Alice.
Maria Alice, me faz sentir uma pessoa privilegiada por tê-la como amiga.É um ser maior capaz de amar incodicionalmente e de ajudar a quem quer que seja da mesma forma. Aprendo todo dia com ela e me sinto forte com sua amizade.Ela me acolhe, me dá colo, ombro, coração e divide comigo todos os momentos da minha vida, alegrias e tristezas.
Maria Alice é mesmo um ser ESPECIAL e por isto muito querida por mim.
Ah!!!! gosto muito do seu blog e tenho aprendido muito com o que leio aqui. Parabéns!
Um grande abraço
Graça

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Graça. a verdade do coração que sente os raios fosforescentes da amizade não se equivoca... Disse , o que sinto. Me orgulho de tê-la minha amiga: alguém que ama, sonha, luta... um coração que se dá... uma alma gentil, terna e verdadeira. Muitas vezes, pagando alto preço pela autenticidade num mundo que idolatra a hipocrisia.
Que seria de nós sem o devir amizade?
Que seria do mundo sem o riso solto e a lágrima expontânea e honesta das Marias?
Compartilho contigo a admiração, só que nós somos poucos ; pperto do amor que lhe tem a Lua...
Que a espera, a imita... a venera...
Somos amigos menores, mas amigos verdadeiros... E a Lua atenta mevigia nesta digitação... Embora, pequena, é sábia: e na sua esperteza tem medop de perder seu cantinho no coração da nossa amiga, tão Maria, tão Alice..
abraços jorge

sueli disse...

A lua é representante do amor incondicional dos seres irracionais,sempre me acolhendo no seu consultório com alegria e ternura de uma amizade independente de qualquer coisa.Cabe aqui dizer que devemos tirar o chapéu para essas criaturinhas que veio ao mundo só para nos darmos alegria, e tenho ainda que presenciar todos os dias os maus tratos, o abandono, a violência, aceitar a eutanásia de cães que não precisam de morrer, só porque o dono não tem condições de cuidar quando eles já estão inválidos,esquecendo que quando eles estavam sadios traziam alegria da mesma maneira que trazerá agora. E aqui vai meu apelo em dizer que se não gosta de animais, ou não tem condições de criá-los , não arrumem por favor, pois eles não dignos de suas frustações... disculpe o desabafo de uma pessoa que tem conviver com a ignorãncia do ser humano todos os dias.

Marta Rúbia de Rezende disse...

Ei Jorge, esse não é para postar porque posso ser mal compreendida. É só pra vc. Lendo seus poemas Lua e Amigo, fico com enorme vontade de ir até vc. Mansa e terna, lamber-lhe todo.
Saudade
Beijo
Marta

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Sueli, como sempre, estou de acordo e penso como você: os animais são vínculos de ternura e lealdade, um devir suavidade em jogos de amor.
Cuidemos! amemos...
Se os queremos para amar e cuidar, que o tenhamos, mas se não que esperemos o momento de devir ternura que eles nos convocam, pois frustrá-los por frustrá-lo é narciscismo.
abraços jorge

Maria Alice disse...

Dr Jorge, só hoje tive forças e coragem para registrar neste espaço, minha emoção pelas suas palavras e da amiga Graça.
Que felicidade... e como sempre chorei, chorei muito, pois a torneirinha deste reservatório nunca fecha.
No silêncio do meu coração, quero agradecê-los com a frase de Madre Tereza de Calcutá, “Não devemos permitir que alguém saia de nossa presença sem sentir-se melhor e mais feliz.”

Abraços
Maria Alice

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Maria alice, obrigado... Pelo seu carinho e dignidade. Me honra muito sua amizade e companhia.
Às vezes, penso que por um mistério erraram na fabricação do seu corpo:
É amiga um coração que anda e fala, sonha e luta. É a personificação da amizade no que ela tem de celestial e humano...
meu carinho e ternura, num vôo de admiração e partilha. abraços jorge

CLARA disse...

Para uma amiga tenho sempre um relógio esquecido em qualquer fundo da bolsa.

Mas esse relógio não marca o tempo inútil.
São restos de tabaco e de ternura rápida.
É um arco-íris de sombra, quente e trémulo.
É um copo de vinho com o meu sangue e o sol.


António Ramos Rosa

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Clareando, vemos além da dor uma força de vida que resite querendo renascer novo caminho e novos sonhos . abraços jorge