quinta-feira, 30 de setembro de 2010

DIÁRIO DE BORDO: SOBRE OS SONHOS E A UTOPIA ATIVA

                                                                                 JORGE BICHUETTI

"Somos do tamanho dos nossos sonhos". ( F Pessoa)
Caminho, sonhando... entre estrelas bailarinas e uma orquestra de passarinhos que me tornam o mundo encantado.
Não conheço o mundo cinzento da razão fria e matemática que subtraiu a esperança e dividiu o destino em real e irreal.
Sonho. Creio nas utopias e elas me descortinam para além da dita realidade o outro mundo possível e necessário.
 Um mundo florido de solidariedade e ternura, na alegria da seresta e na comunhão da partilha. Outro mundo, feito de pipas no ar e velas nas esquinas... Feito de amor, muito amor, tanto amor que os humanos nele se agurpam com o codinome de irmandade.
Um mundo de justiça e direitos humanos, de igualdade: a associação dos livres produtores.
E o espaço liberto da vida que se dá harmoniosa na abundância da natureza e da arte sendo movidas para o bem de todos.
Nele, todos são livres e livres vivem suas singularidades usufruindo do direito à diferença num concerto de uma cósmica multiplicidade.
Che, o valoroso guerreiro de um novo tempo, dizia: " Lutam melhor os que tem belos sonhos"
E compreendendo os desfios do destino, ousou acrescentar: " Sonha e serás livre de espírito... luta e seerás livre na vida"
É a ousadia sonhadora de quem afirmou: " prefiro morrer em pé que viver ajoelhado.
O sonho é a indignação afirmativa diante da escravidão, da opressão e da exploração.
Sonho é resistência: "o sonho encheu a noite, extravassou  pro meu dia, encheu minha vida e é dele que vou viver, porque os sonhos não morrem" ( Adélia Prado)
Sonhamos, vivemos no sonho e nele caminhamos... como quem sente no desetto o perfume inebriante das flores do óasis...
Utopia - território dos sonhos....
Utopia Ativa - o nobre e o belo que almejamos , mas deste já o buscamos, na imanência do processo desejante-processo revolucionário.
" Não é preciso conquistar o mundo, Basta fazê-lo novo. Hoje . Nós." ( Subcomandante Marcos)
Ousemos sonhar, ousemos lutar... E nas agruras do caminho, evitando a desilusão e o desespero, repitamos com Mario Quintana:
" Se as coisas são inatingíveis...ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fosse
A presença distante das estrelas."


2 comentários:

Samara disse...

Sonho Impossível

Sonhar mais um sonho impossível
Lutar quando é fácil ceder
Vencer o inimigo invencível
Negar quando a regra é vender
Sofrer a tortura implacável
Romper a incabível prisão
Voar num limite improvável
Tocar o inacessível chão
É minha lei, é minha questão
Virar este mundo, cravar este chão
Não me importa saber
Se é terrível demais
Quantas guerras terei que vencer
Por um pouco de paz
E amanhã se esse chão que eu beijei
For meu leito e perdão
Vou saber que valeu
Delirar e morrer de paixão
E assim, seja lá como for
Vai ter fim a infinita aflição
E o mundo vai ver uma flor
Brotar do impossível chão

Bethânia

O sol levantou mais cedo e quis, em nossa casa fechada entrar, pra ficar...

beijos, samara

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Samara, só você mesmo para com sua ousadia acrescentar na discussão das utopias o valor inolvidável de Don Quijote.
A música intensifica as afetações e estas intensificadas nos decompõem no instituido e nos fazem instituintes, nos dá de corpo e alma ao devir.
Com carinho jorge bichuetti