terça-feira, 19 de outubro de 2010

DEVIR AMIZADE

                                                                                       JORGE BICHUETTI
Alguns horrores da vida pós-moderna me impactam, deixando-me melancólico e entorpecido.
Um deles é individualismo, outro a solidão...
Vejo-as e não as compreendo, nem aceito: causa-me indignação...
" Somos todos desertos, povoados de tribos, faunas e floras" ( Deleuze)
Nossa natureza social nos fabrica no entre dos encontros e estes encontros povoam nossas vidas de amor.
O amor é o vínculo que nos rizomatizam e nos livra de eternos rodopios nos entornos dos nossos próprios umbigos...
E há muitos amores... Amor-paixão, amor-compaixão, amor-tribo, amor- empresa, amor-cuidado, amor- amizade...
Num tempo de encontros escassos e fugazes, de paixões fortuitas e volúveis, num tempo de tanta soidão... não podemos esquecer da potência do devir amizade.
Amigo - é a palavra e o silêncio, o estímulo e a crítica sincera, o apoio e a companhia, o carinho e a doçura da ausência quando necessitamos de estar sós conosco mesmos, e a compreensão dos nossos limites e é a força propusora para que desbravemos nossas fronteiras... É amor...
Amizade é doação e troca, partilha e solidariedade, ternura e suavidade, carícia e contenção, confidência e confiança, perdão e suave e firme reinvindicação de que sejamos uma potência de afirmação da vida para além dos nossos medos e covardias... É amor...
Amigo - é sim e não na coragem da delicadeza de se poder concordar ou discordar, livremente, é alimento, é alegria e é tristeza... É amor...
O ombro das horas tristes, a mão extendidas nas hora das quedas dolorosas, e o corpo acoplado no esforço da subida quando o íngreme das escadas e dos montes destam ou revelam a nossa fragilidade...
 É amor...
Ele nos respeita como somos , mas não se conforma, age, pois nos vê e nos sonha mais...
Devir amizade é um ato-acontecimento revolucionário.
Torna suportável o hoje, e, assim, se produz coragem e oudasia de se reinventar o amanhã.
E é a maquinação imprescindível para que a solidão e o individualismo não nos desumanize ou nos decrete em estado de morte civil.
Amigo é companheiro, parceiro, vida partilhada...
Devir amizade é, assim, acordar em nós o amor e deixá-lo consubstanciar-se para além do prazer imediato, atualizando no perene da solidariedade da ternura que multiplica os encontros na alegria de juntos trilhar os caminhos, entre pedras e espinhos, mas caminha, na luz e nas trevas, para conquistar o canto da aurora com o orgasmo da estrela dálva na sua aliança com o dia, sem  para isso renunciar o seu brilho nos escaninhos da noite.
É amor... amor, longe da simbiose, mas  constante no diálogo dos afetos e afetações que se faz alegria encantada de ser e viver, sem a dor de estar sozinho.
Amigo - é coisa guardada do lado esquerdo do peito... É o milagre do amor que nos torna multidão ainda mesmo quando andamos sós nas veredas de lutas e sonhos da vida....É amor - vida comunhão...

6 comentários:

Samara disse...

"Quero ser o teu amor amigo. Nem demais e nem de menos.
Nem tão longe e nem tão perto. Na medida mais precisa que eu puder.
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar.
Sem forçar tua vontade. Sem falar, quando for hora de calar.
E sem calar, quando for hora de falar.
Nem ausente, nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.
É bonito ser amor amigo, mas confesso é tão difícil aprender!
E por isso eu te suplico paciência.
Vou encher este teu rosto de lembranças,
Dá-me tempo, de acertar nossas distâncias..."

Fernando pessoa

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Samara, penso que nossa amizade é uma força de expansão da vida que se deseja alegre, solidária e terna. Sua amizade me engrandece. abraços jorge

Vida Cigana disse...

Quanta "Pessoa" linda que circula nas nossas vidas...
Você é uma dessas...
Abraços ciganos

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Um dia terei ahonra de ser , verdadeiramente cigano...
Muittas vezes, vemos tanto as pessoas maléficas que esquecemos estamos rodeeados de gente boa que nos alegra e anima, nos sustenta e nos estimula.... São nosso pão e o nosso vinho.
Quero merecer a honraa de ser junto a você um devir amizade. abraços jorge

Anônimo disse...

Meu Dr. amigo Jorge,

Voltarei em breve para obter algumas ideias suas de doutor.
Fora a saudade.
BJO da Denise

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Saudades, querido coração: sua presença é ternura que me faz crer na amizade e num devir alvorecer para este mundo de escutidão e solidão. abraços jorge