quinta-feira, 14 de outubro de 2010

DIÁRIO DE BORDO : HÁ LUGAR PARA O AMOR?

                                                                                                   JORGE BICHUETTI

Vivemos tempos difícéis... Ando meio perdido. nós que amamos a ternura e desejamos um tempo de suavidade, vemos o mundo e o mundo chama para guerra... Esta é a realidade, mas eu prefiro acreditar na potência do amor.
Lutas políticas, caças de poder... um mundo de questões se levantam, e eu não vejo colocado o homem: o homem e sua liberdade, o homem e sua dignidade, o homem e sua vida digna com justiça social e ternura, solidariedade e inclusão social....
Nos embates da mídia, o homem não se mostra.... Aliás, ali ele nunca esteve real: com fome, sem teto, vítima da violência, um estropiado mendigando a misericórdia dos que não caminham com eles...
Solidariedade verdadeira é partilha!...
Tive fome e me deste o que comer...
Tive frio e me abrigaste...
Estive só e me visitaste...
Perseguido e me protejeste...
Não vivemos longe do amor... Somos um povo, somos pesssoas que necessitamos de amor...
Qual o sentido de nossas vidas? O consumismo, o narcisimo, o poder...
Ébrios de ilusões, desejamos uma vida de encontros verdadeiros, da alegria que emerge da generosidade e da bondade...
Cansamos do espelho... Ou melhor, o espelho está quebrado....
O outro já não é o meu inferno.... O outro sou sou eu(hebe)...
Somos carentes.... Edípicos? Não... somos carentes de grupalidades onde o humano se supere egoísmo e se realize fraternidade.
Todos aqueles que estão me vendo, rompendo meu silêncio na política, não tenham dúvida: minha esperança é o amor!....
Neste sentido, agradeço ao governo Lula e expresso minha esperança na continuidade que se dará com Dilma Roussefft...
O restto é silêncio!...

10 comentários:

Marta Rúbia de Rezende disse...

Jorge querido, vamos em frente. A vida da consciência, a vida em sociedade, é assim: jogo. Puro jogo. A gente pode ganhar ou perder o jogo. Lutemos então pela vitória, mas se ela não acontecer, não nos desesperemos pois o jogo contínua, o jogo não pára. O que importa verdadeiramente é a vida. E a vida luta pela vida, qualquer seja a conjuntura eleitoral ou política. Já passamos por tantas dificuldades, tantas baixarias políticas e sobrevivemos. Sobrevivemos à ditadura militar. Conquistamos a democracia. A democracia não é perfeita, é cheia de contradições e conflitos. Mas é o melhor sistema político criado pela humanidade até o momento. Cheia de imperfeições como a natureza. Não há perfeição nesse mundo, não há perfeição em nós. A vida é luta, é força, é vontade de potência. Te amo, me amo, amo a vida, amo o amor.
Obrigada por vc existir e lutar. Obrigada por ter me dado a chance de lhe encontar. E viva os bons encontros, pois a nossa ética é, sobretudo, essa: os bons encontros. Quando a gente valoriza e procura os bons encontros, somos capazes de encrar todos os encontros.
Abraço , abraço fraterno, abraço amoroso da Marta

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Marta, Luz-força-sonho... Sua amizade me faz uma pessoa mais digna. Contigo apendi uzinar... "nada de fugir da raia, nada de fugir da praia...nada de fugir"... A luta é o caminho: militar é agir(guattari), elutaremos sempre no construtivismo do desejo-sonho de um outro mundo possível,com viola, pão e vinho, terra, seresta e poesia para todos. Um beijo jorge

Anônimo disse...

Bom dia Jorge querido!

Existe sim espaço para o AMOR em tempo de guerra:

"Sete Amores"

Anjo Azul
Amor orrrr
Amor corrr
Amor dor
Amor roedor
Amor dor
Amor corrr
Amor senhor

Anônimo disse...

BOM DIA QUERIDO JORGE!

Precisamos nos encontrar com a força dos
"Sete Amores".
Anjo Azul

Amor
Amor orrrr
Amor corrr
Amor dor
Amor senhor
Amor dor
Amor

Amor cor
Amor amor
Amor dor
Amor amor

Grande Ambraço,
SD

Marta Rúbia de Rezende disse...

Obrigada Jorge. Todos os dias me alimento das suas poesias em qualquer lugar em que eu esteja. Muitas vezes nem sei mesmo onde estou, mas sei que a vida é aqui e agora.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

marta, os encontros são potências que vitalizam o caminho e a poesia é nosso sol, nossa lua e nossos deuses... Grande mesmo é a ternura! e ela nasceu natural no entre dos nossos encontros. abraços jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

SD, um terno e carinhoso abraço... O amor é a fonte dos grandes encontros, é o azul infinito e o encanto daas estrelas, é o senhor e todas as criaturas... e é o lhar compassivo e generoso que se faz acolhimento. abraços jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Obrigado pelo carinho e por me reafirmar algo que me move: há um lugar para o amor sempre, pois guerras sem amor são puro genocídios. abraços jorge

Josiane disse...

aaaaaaaaMOR

São dois corpos tentando ocupar o mesmo espaço.
A física diria: Desistam!
E o que diria o Amor?
São dois corpos privados de toque.
E o plano é: aproximem-se para se afastarem,
Não se falem para conversarem,
Não se olhem para se enxergarem.
Mas, o que queremos ver?
O que não queremos ver!
E se não queremos ver, como vamos enxergar?
Está tudo tão frio e chove!
Chove sobre as nossas cabeças
Esses pingos de juízo, e
O resto são incertezas líquidas.
Quantas rosas eu ainda ei de colher para enfim sangrar-me com um espinho?
O fato é que esses sons estomacais me reduzem à pura biologização de mim...
E já não sou mais e por enquanto,
Esse ser transcedente da poesia.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

josie, sua poesia é o próprio amor, corrrendo no leito de um riacho e carregando na sua correnteza flores e folhas que fecunndam o caminho com a força da ternura e a luz da liberdade.
Me envie seus poemas... Um abraço jorge