sábado, 13 de novembro de 2010

POESIA: VIDA ENCANTADA

                             TROVAS DO ÊXTASE
                                                      JORGE BCICHUETTI






Nossos beijos enoverlaram,                           O prazer funde e ata
no êxtase da paixão,                                         e dá asas de voar;
as células de nossoas almas                           se o amor vive no chão,
que já um só corpo são...                                ele é um fogão sem lar...


                                    O AMOR
                                                JORGE BICHUETTI

O amor cura
angina
pânico
mialgia...                                      
O amor é potência:
coração alado
e sereno,
vida sem nostalgia...






                                             ESTA FLOR
                                                              JORGE BICHUETTI

Esta flor naceu
encantada...

Ela cheira vida
nascente...

Seus espinhos são
dóceis...

No jardim , discreta,
brilha...

Esconde seu segredo,
silenciosa.

Esta flor caiu
do céu...

E as estrelas
são flores e gente,
árvores e bichos,
cuja imensa ternura,
as fizeram exiladas,
voaram e, agora,
florescem e encantam 
o jardim da imensidão...




INSÔNIA
JORGE BICHUETTI

Meu corpo arranha a pele de Morfeu
e ele, covarde, foge, deixando-me
só... Serpenteio, então, ansioso,
enroscando-me na maciez do lençol.
Cansado. Meus pensamentos gritam.
Acendo um cigarro e nuvens vagueiam
no escuro solitário do meu quarto.

Exuasto. Apago a TV, abro um livro
onde poemas e histórias acordam m'ia alma.

De alma desperta, perdõo a ausência covarde de Morfeu....

Hipnos me seduz com pílulas envenenadas,
porém, as nego e num ato de vingança,
adormeço sereno ouvindo uma sonata.

Venço a insônia pelo encanto de uma lira;
abraço enamorado nos braços de Orfeu.



2 comentários:

Samara disse...

Minha Herança: Uma Flor
Vanessa da Mata

Achei você no meu jardim
Entristecido
Coração partido
Bichinho arredio
Peguei você pra mim
Como a um bandido
Cheio de vícios
E fiz assim, fiz assim
Reguei com tanta paciência
Podei as dores, as mágoas, doenças
Que nem as folhas secas vão embora
Eu trabalhei
Fiz tudo, todo meu destino
Eu dividi, ensinei de pouquinho
Gostar de si, ter esperança e persistência
Sempre
A minha herança pra você
É uma flor com um sino, uma canção
Um sonho, nem uma arma ou uma pedra
Eu deixarei
A minha herança pra você
É o amor capaz de fazê-lo tranqüilo
Pleno, reconhecendo o mundo
O que há em si
E hoje nos lembramos
Sem nenhuma tristeza
Dos foras que a vida nos deu
Ela com certeza estava juntando
Você e eu
Achei você no meu jardim

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Um gota de orvalho ou uma lágrima dulcificada na ternura salva uma flor. abraços jorge