quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

POESIA: ASAS DA LIBERDADE

                                                   LIBERDADE
                                                           Jorge Bichuetti

Um voo no horizonte azul,
andar nu pisando a relva,
inundando-se de orvalho...
Beijar uma flor, matando a sede
com água viva do amor...

Liberdade é um sonho
de poesia e prazer;
que brota no chão da vida,
para os que na luta, ousaram
fazer o mundo alvorecer...













                       
              
                  
                          O GRITO DOS EXCLUÍDOS
                                                        Jorge Bichuetti

Pássaro engaiolado,
das verdes matas roubado,
mira o céu que não mais tem
e chora, cantando sua saudade...

Esfomeado na rua, o menino
vê a esmola e pensa no pão
que lhe falta e na vida
de solitária agonia...
Chorando, ele sonha
com uma pipa colorida,
e num silencioso obrigado,
segue na vida oprimido...

O silencio grita e clama,
pede voz e cantoria
dos que amando a justiça,
possam lutar, noite e  dia,
para que o mundo escute
o grito dos excluídos...


                                 AMORES
                                            Jorge Bichuetti

O amor é força e vida,
florescendo no caminho;
os limites nascem do ódio,
nunca é flor, é espinho...

Sempre o amor poetiza
o desejo que voa e canta,
fecha as comportas do medo
e vida ele encanta...

8 comentários:

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

bom dia meu companheiro ... sempre lindo seu espaço ...pbens pelos posts e pelas belas interaçoes
como estou de passagem deixo um poema do dia a dia ... abçs

Desejos ... Que queres?

Che vuoi?
Como és bonita !
Tenho olhado
Bem dentro dos teus olhos,
Tentando desvelar
O enigma dos teus desejos.
Que Queres?
Que desejas enfim?
Imagem especular,
Sol da manhã,
Olhos que arrastam
Como o mar sem fim...
Silêncio e escuta ,
Não basta ler Lacan.
Um olhar de angústia
Do analista
Deitado no próprio divã.
(©by Adilson S. Silva)

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Adilon, estamos saudosos, e valeu a espera: um poema belíssimo... Ave, desejos!...
abraços, Jorge

Anne M. Moor disse...

Belos poemas sobre a liberdade e o amor!

bjos
Anne

Maria disse...

A liberdade do vôo se inscreve no instante da escrita. Excluidos, esquecidos, abandonados vivem no poeta e ganham o canto. Desejo que se realiza.

Abraços
Maria

Tânia Marques disse...

Belíssimo, como já era de se esperar. Estou assistindo ao documentário "Estamira", pois ainda não o tinha visto, e fazendo as minhas leituras das falas, das cenas, etc. Brevemente postarei no meu blog Uma Nova Ética Humana. Beijos saudosos.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Anne, sua sintonia com o que penso tâo pequeno me leva a sonhar que o mundo novo é feito de simplicidade...
Sua voz soa como um chamado para que procure os fluxos da poesia que andam pelo ar...
Obrigado pelo carinho. Abraços com ternura, Jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Maria, dar vida a dor, pensando-a possível de vir-a-sere libertação me anima a cami9nhar, passo a passo, porém, adiante;
Abraços com ternura, Jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Tânia, a expontaneidade e a liberdade de Estamira nos fascina e encanta: sol de um novo dia, codificado pelo mundo como uma louca, guarda sensível sabedoria;
Abraços com carinho;
Jorge