domingo, 27 de fevereiro de 2011

POESIA: ASAS DO AMOR

                                   AMOR ENCANTADO
                                                           Jorge Bichuetti

Amo-te, como se fosses
a chuva abençoada
e, eu, um deserto  ávido e sedento...

Amo-te e te sinto
o fruto doce e maduro
e, eu, a fome de uma ave nômade...

Amo-te e, sempre, és
o clarão de um noturno luar
e, eu, a poesia encantada que vive e nasce de ti espiar...



            MÁGICO AMOR
                                            Jorge Bichuetti

Tens a leveza da brisa
e a suavidade do sereno...
És a sinfonia das aves
num cândido alvorecer...
Tens passos bailarinos
que cavalvagam no infinito
e, aqui, te espero,
numa rede de balanço;
onde nunca sei, ao certo,
se és o meu sonho materializado
ou os encantos celestiais,
pelo húmus da terra vivificados...

És o amor... Simplesmente, a magia do amor...


                                CORAÇÃO DILACERADO
                                                                    Jorge Bichuetti

Se vais, perco-me na saudade;
porém, se vens e não me vês
com tua mirada de sensual ternura,
caio,encismesmado, no abismo escuro
de uma louca e desértica solidão...

Este amor enlouquece;
este amor decompõe...
Acordemos e sejamos
a perfeição do encontro
entre a flore e o passarinho...

Assim, já não podemos,
somos um poço de dor
nas nuvens da ilusão...


                                    O AMOR
                                                Jorge Bichuetti

O amor flores e encanta,
pulsa, vitalizando
os passos da estrada.

O amor canta e frutifica,
dança, celebrando
os voos... os abraços,
nossos corpos unidos,
entre as flores do jardim
e as estrelas da imensidão...


                      DIVERSOS AMORES
                                    Jorge Bichuetti

Eu e o meu livros, com suas palavras de magia,
amamos a chama da vela e chá acolhedor,
que numa noite fria nos aconchegam, divinizando o instante...

Eu e minha paixão pela bela e esplêndida natureza,
amamos a chuva e a brisa, as folhas voando no vento,
e a pequena cigarra que se dá inteira, até o fim, pela alegria de cantar...

Eu e os meus passos no caminho, errantes e vadios,
amamos a amizade e ternura da vida, cujo amor
se multiplica, dando-nos vida e brilho, com suas mãos estendidas...

6 comentários:

Marta Rúbia de Rezende disse...

Jorge sua poesia é demaisssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss. beijo M

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Marta, na poesia voo, e voo com a alegria de desvendar meus mistériose encantos da vida, Te adoro, abraços, Jorge

CLARA disse...

Gostaria da sua permissão para postar no meu blog suas poesias, posso?
abraços
clara

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Clara, tudo que lhe interessar tenha liberdade de postar; você é amiga e os amigos não pedem... Use-os e sinta no meu blog como se estivesse na casa da amizade tomando um café num fogão de lenha... abraços, Jorge

Anônimo disse...

Gostaria de saber onde você arruma essas imagens lindas.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Estas fotos são todas do google , pois não tenho consigo usar meu arquivo.
Abraços com carinho, Jorge