terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

POESIA: ASAS TRANS-PAR-ENTES...

                                  VENTANIA DO ADEUS
                                                       Jorge Bichuetti

Uma folha rodopia e embala o vento,
como se encontrasse um lamento,
ali, perdido e esquecido, p'ra sempre...

Do tempo, nunca se sabe a distância,
nem se algum momento terá ânsia
de um enconcontro terno que o comtemple...

A folha seguirá... a dor do vento,
que guarda nosso amor, um desalento,
por nós vivido sem u'adeus que o lembre...

                  BEIJOS DO POMAR
                                  Jorge Bichuetti

Tua boca macia e suave,
com sabores de pomar,
me levam a mendigar
beijos:  no céu ou no mar...
        ***


OLHAI OS LÍRIOS DO CAMPO
             Jorge Bichuetti

Teu corpo, todo divino,
me provoca alguns delírios:
não tecemos, só amamos,
nós somos, do campo, os lírios..
               ***
   

PECADO SANTIFICADO
               Jorge Bichuetti

Ao próximo, só amor.
ensina a santa lição;
e a vã e doce malícia,
então, nãoé perdição....
*********************
***************************************************
                                ORAÇÃO À LUA
                                                        Jorge Bichuetti

Lua pequena, tão linda,
mais bela que o luar;
muitos pensam de você
o que eu penso do amor,
vindo num barco celeste
que trazia ocultado,
todo ódio  infernal...

Oh! for da minha vida,
não me deixes esquecido,
nem me permitas sonhar;
Tenho por vício umardor
de não saber o rumo certo
das vida enluaradas
num desfile de carnaval...
***************************************************************************************
              
     POUCO
                                      Jorge Bichuetti

Foste pouco,
eras um blefe
e eu não sabia
que negociavas,
todos os dias,
o valor da alegria....
*******************************************************************************
                                   BACO
                                          Jorge Bichuetti                                            

Um samba de marugada
com cachaça e mesa farta,
um dia dia de alegria me aquece
e eu penso na nossa folia,
com a velha e ouca mania
de tudo ser no carnaval...
 **************************************************************
                       ATALHO
                                        Jorge Bichuetti

Se não vens,
digas,agora,
o dia tarda,                                                
a noite chega
e eu já não choro...
Quero , somente, saber,
se espero ou vou
embora... o amor
fica... no depois...

É PRECISO SABER VIVER
                                                                             Jorge Bichuetti

Na primavera, , aspiro as flores e a cor do luar...
No verão, largo tudo, e, logo, estou no mar...
No outono, colho os frutos e saboreio a vida...
Já no inverno, faço versos, co'a alma de amor aquecida...


                                   NU
                                      Jorge Bichuetti

Nu, naceste
e, assim, amas;
todavia, estranhas
a mirada estrnha
de quem te vê
e te quer;
se saber
que tuas façanhas,
são profecias não cumpridas,
propagandas infiéis...























6 comentários:

BLOG DO PROFEX disse...

Cara, estou pasmo. Lindos poemas...
Deixo um grande abraço!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Amigo, a poesia é uma linha no horizonte que me vitaliza e me ensina voar... Sou um aprendiz.. da poética e do sonhar... Fico feliz, com a sua presença, vamos juntos poetizar...
Abraços, Jorge

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

Boa madrugada meu companheiro ... vc é um grande poeta e uma pessoa iluminada pela maneira como vc doa vida ... abçs sempre ....

Poetas e Flores...

Tenho olhado as flores...
Já viram um girassol murchar?
Ficam tristes e murcham
Se não têm por quem brilhar.

Assim são os poetas.
Com versos vagos e vazios
Sem suas musas
Pra encantar.

Tudo é escuro e frio
Solidão dos versos
Aragem, estio
(@by Adilson S. Silva)

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Amigo, sua bondade me vê contagiado já com as qualidades da estrada...
Somos os caminhos quetrilhamos, se deixamos sua poeira e seu horinzonte se mesclrarem com nosso coração e nosso olhar,
Abraços, Jorge
Este poema saí agora, Brlo

Joice Furtado disse...

Lindo blog. ^^

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

JOYCE, DE CARINHO E ESTÍMULO COMPÕE-SE O HORIZONTE. OBRIGADO PELA TERNURA, JORGE