segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

SOCIEDADE DE AMIGOS: DA INDIGNAÇÃO À ESPERANÇA

                             Menino travesso
                  Adilson S. Silva
  
Menino travesso,
Cabeça cheia de mundos
E fantasias de heróis...
Dormia sob marquises,
Cama dura sem lençóis,
Olhava o mundo às avessas,
Pura sorte, pura cola
Viver é muito duro
A morte não dói...

A casa fugiu,
Fugiu a escola...
Nos palácios...
Discursos englobantes
De risonhos palhaços,
Capazes de tudo dizer,
Inclusive...
O seu próprio fracasso...

... Menino travesso,
Cabeça cheia de mundos,
Viver é muito duro
A morte não dói...















RENASCER
Paulo Cecílio

Com irmãos feridos,
não vi meu corte: profundo, letal.
a morte encerra a guerra.

Liberto,
pousa em mim a esperança.
agora sei o que é eterno.

Tempo de renascer:

arrebentar  casulos,
abrir  asas úmidas,
lamber feridas como Lázaro.

 Aos  ventos da liberdade,
    a artéria pulsa serena:
a vida me espera...

      um cais, um porto seguro...


4 comentários:

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

Que lindo meu compnheiro ....mande um abraço para o Paulo Cecilio pela beleza de seu poema .. e obrigado sempre pela generosidade ... do seu espaço
abçs

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Adilson, a poesia aproxima o que antes andava distante...
Abraços sem fronteiras
Jorge

Anônimo disse...

É O MEU MAIOR DESEJO EXPRESSO EM PALAVRAS HIPNÓTICAS, QUANDO LEIO AQUI: UM ABRAÇO SEM FRONTEIRAS!
DE VOCE SONHO UM BEIJO,E SONHO O
ROLAR A DOIS SEM FIM...
MELHOR PARAR ENTÃO E DEIXAR TUDO PARA SUA DOCE IMAGINAÇÃO SUAVE
SEU DOCE TOM DE VOZ
SEU DOCE E LINDO MODO DE VIVER
DENISE

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Denise, a poesia vem nas suas palavras que representam o olhar da ternura, fabricando qualidades que estou longge de tê-las... Um carinhoso abraço, Jorge