domingo, 27 de março de 2011

MESTRES DO CAMINHO: GASTON BACHELARD, ENTRE A CIÊNCIA E OS VOOS DA POESIA...

                                                            REFLEXÕES:

"Por acaso, o sonho não é o testemunho do ser perdido, do meu ser que se perde, de um ser que se perde do nosso ser, inclusive quando podemos repeti-lo, voltar a encontrá-lo na sua transformação."

"Compreendemos a natureza, resistindo-a."

"Quando se apresenta à cultura científica, o espírito nunca é jovem.É demasiado velho, pois possui a idade dos seus preconceitos."

"Estamos na idade da imagem. Para o bem e para o mal, sofremos, mais que nunca, a ação das imagens."

A escada que sobe a um desvão, sempre sobe nunca desce; igual que sempre se desce e nunca se sobe de um porão."

"A retidão da consciência não é congênita."

"Nada é evidente. Nada é dado. Tudo é constrído."

"Uma experiência bem realizada é sempre positiva."

"O homem é uma criação do desejo; e não da necessidade."

"O poema é um cacho de imagens."
"As imagens não são conceitos. Não se isolam na sua significação. Precisamente, tendem a superar sua significação."

" A verdadeira poesia tem a função de despertar."

"O menor acontecimento na vida de um menino é um acontecimento para todos os meninos do mundo; e, portanto, um acontecimento mundial."














2 comentários:

Marta Rúbia de Rezende disse...

Gaston Bachelard, alumiador de caminhos. Amo sua barba, seu pensamento, sua obra e, sobretudo, sua força à imaginação. O que seria da vida sem esse fenômeno?
beijo Jorge
Marta

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Bachelard, Marta, a ciência e a poesia num coito de procriação es telar; o amo... Abraços com carinho, Jorge