sexta-feira, 29 de abril de 2011

POESIA: ECOLOGIA, UTOPIA E VIDA...

                              A MAGIA DA VIRTUALIDADE
                                                         Jorge Bichuetti

Meus desejos e sonhos mesclam-se
com as miragens de um tempo
entre o segundo e a eternidade
onde o inconcebível acontece...

Nada se mostra, então, impossível;
o incerto dilui e se reproduz,
parindo no caminho novos voos
para o reino das paisagens alegres...

Neste encantamento, não há desalento;
nas entranhas invisíveis da utopia
nascem virtualidades bailarinas
que as ébrias flores encarnam...

Findou-se a métrica da impossibilidade,
já não existem limites, vácuo ou fronteiras,
na ciranda mágica do infinitessimal
a vida verdeja sempre... incondicional.



                        CANTORIAS
                                      Jorge Bichuetti

o canário e o sabiá
cantores da arte nômade
não conhecem as tonalidades
da erudita sinfonia
dos brejeiros répteis
que chacoalham
no matagal

os madrigais impertinentes
de seriemas e pardais
são na vida sacramentados
pelos sinos que alvorecem
com os deuses
das catedrais... 
   

                              TERRA EN-CANA-NADA...
                                                            Jorge Bichuetti  

A felicidade per capita
anda
decapitada;
já o tal de Capital
para
o riso ambulante
dos pobres pardais
que chora, agora, embriagados
nos agro-canaviais...

 
                         RECLAM-AÇÃO
                                            Jorge Bichuetti  

     pio
pia  piado
capim verde
   capivara
          capiau
              aqui
                    jaz...

o cerrado
     jazz
trans-cultural...


                               OS BICHOS SÃO GENTE BOA
                        ( para o amigo e guerreiro Renato Muniz, autor do livro "Os bichos são gente boa" )


                                  Jorge Bichuetti

Gente boa é o bicho
natureza enternecida
na lealdade do animal

no mato a vida gira
com bandeira e preguiça,
ora, há luta... ora, vadiagem...

passarinhos nas nuvens
- estatuto do homem -
lições de liberdade...

mico no arvoredo
de galho em galho
fugitivo da queimada

as borboletas voam
e nas flores poetizam
uma nova humanidade

gente boa na natureza
verdejante utopia
devir-bicho: nova suavidade...

4 comentários:

Vncs disse...

Bacana, Jorge! Identifiquei-me expressamente com sua forma de pensar e sua maneira de expor as palavras. Procure saber sobre o site "recanto das letras". Acho que irá gostar! Abraço. até a próxima.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Amigo, irei hoje a tarde visitar o orecanto, já sinto que me encantará, a poesia e a arte nos leva aos encantos dos voos mágicos para além do cinza cotidiano da vida; abraços, Jorge

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

E por falar em vida ...nao podemos esquecer os horrores do autoritarismo e os regimes de exceção
A cidade espanhola de Guernica SOFREU UM BORBADEIO em 26 de abril de 1937 por aviões alemães, apoiando o ditador Francisco Franco ... Entao ai vai minha homenagem ...

Guernica

Querida Guernica
Não virei as costas para ti
Tão pouco chorei
As lágrimas, já derramaste por mim
E por todos os poetas
Tombados , silenciados pela guerra civil.
Um outono que não era o meu
Uma tarde cinza
Tardes de abril
Foste martir em teu próprio coliseu.
Levo-te agora
Entre rabiscos e traços
Estás eternizada na tela
Fina arte de Picasso
Estará o Salvador aqui?
Ou na loucura de Dali?
Guardo em ti o amor
Hoje rendo minha homenagem,
Reverencio-me a ti...
Compartindo-me de teu horror.
(@by Adilson S. Silva)

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Adilson, sua sensibilidade poética e revolucionária de pensar as dores no dia--a-dia me encantam... Grande lembrança; Jorge