segunda-feira, 30 de maio de 2011

DIÁRIO DE BORDO: ENTRE A POESIA E O SONHO...

                                                               Jorge Bichuetti

Madrugada escura e fria... A Luinha não quis ir no quintal; com seus olhinhos marotos, desistiu da ventura... Armado de café quente e amargo, lá fui... vi minhas roseiras e o perfume da terra orvalhada, úmida esperando os beijos do sol... Os álamos silenciosos e quietos me pareceram nobres guardiões do sonho das pequenas samambaias que indefesas dormiam...
Ali, a vida fala, conta histórias e declama versos... com atenção, ouvimos seu canto... A vida é a magia terna das auroras que se repetem com estribilhos de esperança que nos ensinam a não crer nas profecias sinistras do  escuro da noite e a não duvidar do alvorecer que chegará com as alvissareiras notícias de um novo dia.
A vida é sonho e é poesia...
Para os que se submetem ao domínio monolítico do racionalismo pragmático, lógico e instrumental, matemático, estas assertivas são delírios da madrugada.
A vida é, para eles, concreto, aço, neurónios e tendões... e um amontoado de prateleiras com mercadorias... no fundo, um cofre onde se encontram guardados ouro e prata, os valores amoedados do mercado.
A vida é um além...
Um canto de passarinho anunciando o primeiro raio do sol; o desabrochar de uma rosa  profetizando os ardores da paixão... Uma criança balbuciando sua primeira palavra com o brilho de quem agora detém no olhar o azul do infinito...
A vida é um além...
Um sussurrar suave do riacho peregrino... Um luar, uma fogueira, uma viola e uma canção... Um sorriso, um verso... Um céu estrelado, um arco-íris...
Poesias vivas - a vida narra em versos sua utopia de ternura, paz e amor...
O sonho potencializa a existência... Dá asas, um voar... um ir além... um estar no agora com os pés andarilhos tocando o infinito.
Diz, Subcomandante Marcos, que inevitavelmente, o sol virá... que a diferença está em esperá-lo quieto e passivo ou andar, caminhar buscando-o... indo abraçá-lo.
Costumeiramente, somos ativos no que se refere ao funcionamento do mundo de mercadorias: labutamos, economizamos, suamos e nos desgastamos para acumular riquezas, um património... um status.. um nome... um lugar de realce no palco das epopeias do mundo social.
Contudo, passivos, não agimos nem sentimos que somos um coração que pulsa, sonha e brilha... Não percebemos que somos desejos e sonhos, poesia e magia num encantamento que nos abre os portais do infinito na finitude do instante vivido com intensidade e paixão.
Somos homens servis... servos do concretismo monetário que hoje nos angustia por escorrer das nossas mãos na sua atual liquidez volátil.
Temos medo da poesia e dos sonhos... Tememos o humano demasiado humano da vida que encanta e sorri na suavidade das pequenas alegrias e nos enlouquecedores êxtases dos vendavais orgásticos.
Querendo possuir e vencer, esquecemos de ser feliz...

24 comentários:

Leka disse...

Lindo texto!
"Para os que se submetem ao domínio monolítico do racionalismo pragmático, lógico e instrumental, matemático, estas assertivas são delírios da madrugada".
Adorei esse trecho! Realmente devemos ter ilusões, sonhos, voar mas asas da imaginação, crer no impossível e não sermos dominados pelas imposições muitas vezes impostas pela sociedade e realismo do momento presente...porque se formos racionais o tempo todo, a vida perde a beleza, perde a esperança do amanhã melhor!
bjs e paz!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Leka, um caminho de vida intensa e alegre sobrepondo ao cinzento concretismo do mundo sem sonhos.
abraços com carinho, jorge

Valter Montani disse...

Caro Jorge, grato por sua visita e comentário em meu recanto, passer para retribuir e parabenizo-lhe pelo blog e por suas escritas, voltarei mais vezes para apreciar.

Mila Pires disse...

Jorge, entre o sonho e a poesia é que habitamos...e neste habitar é que somos felizes!
Bom dia para ti...
Abraços...com carinho...

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Valter; seja sempre bem vindo. voltarei a ver seu blog mais vezes, onde pude ler um pouco, seguirei...
Abraços com carinho; jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Mila, perdeita definição da nossa moradia onde podemos voar com os ventos da alegria e com a ternura da com-paixão.
abraços carinhosos; jorge

YOLITA disse...

Tus letras son profundas y reflexivas...la vida de cada uno de nosotros es una triste y bella poesía..
Me encantó tu recinto..volveré
Te saludo desde Cali-Colombia

Concha Rousia disse...

mas nós somos dos que vamos a cada dia na procura da sol, nós cantamos nossa poesia para ele vir mais pronto, ou para que a nós nos pareça que vem antes assim, e eu acho que vem, a nossa atitude talvez nem sempre encurte o tempo do sol vir mas com certeza muda a experiência na espera, então muda ou não muda? a nossa experiência cria nossa atitude, e é um correlato de nossa felicidade e satisfação com a vida... Ler-te ajuda a meu sol a vir (ou eu sinto isso) Abraço com carinho, Concha

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Concha, buscá-lo forma os que conseguirão tê-lo sem aprisioná-lo; buscando,vivemos com a sensação que nunca nos perderemos na escuridão.
O sol da amizade reluz e floresce: vivo nele e lhe agradeço o carinho.
Abraços com carinho, jorge bichuetti

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Yolita, tupresencia mi alegra, aunados amanecemos con la fuerza de nuestras vidas compartidas en el sueño y la potencicia de la poesía...
Abrazos con cariño. jorge bichuetti
www.jorgebichuetti.blogspot.com

Hosamis disse...

Oi Jorge. Alguém que amamos e mora do outro lado do Atlântico me convidou a conhecer o seu espaço. Que belo, você é um poeta! Bem que já desconfiava pelo conteúdo de seus comentários na República. Bj

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Hosamis, fico duplamente feliz: por você e por saber que a república de sonhos, lutas e passarinhos é o mais belo da vida , o bem querer, amizades que se multiplicam no vento que voa com luz do verdadeiro amor...
Este é um espaço da poesia e do sonho: que é seu...
abraços com carinho; jorge bichuetti

Sergio Martins disse...

Linda reflexão! Os valores atuais são disorcidos: ama-se coisas e possui-se pessoas. Precisamos mesmo, nos agarrar a esta poética simples e vital do dia-a-ia. Abç!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Costumeiramente, somos ativos no que se refere ao funcionamento do mundo de mercadorias: labutamos, economizamos, suamos e nos desgastamos para acumular riquezas, um património... um status.. um nome... um lugar de realce no palco das epopeias do mundo social.

E na maioria das vezes não nos lembramos da existência de DEUS, como também, esquecemos que deste mundo não levamos nada.

Belo texto Jorge, verdadeiro e bastante profundo.

Abraços e ótima terça pra ti.

Furtado.

Concha Rousia disse...

Adoro quando os amigos e amigas se encontram... Abraço coletivo com todo o carinho desde o amanhecer de meu quintal, Concha

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Sérgio: estamos numa caminhada onde a poesia pode nos dar a superação do mercado - o ter sobre o ser - acordando-nos para o sonho; jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Querido Rosemildo furtado: o amor anda nas margens; precisamos dele no meio da vida.... só assim, iremos abrir-nos para a aurora da alegria e da paz; abraços com carinho. jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Concha, viver o quintal com seus ninhos e nichos; reunir os amigos e cantar a poesia do porvir na melodia do amor... issojá uma festa: abraços com carinho; jorge bichuetti

Concha Rousia disse...

Adoro esta partilha, e a ti Jorge, amigo do quintal do coração, hoje deixei lá os amadíssimos Frede e Ugia... podes ouvir é youtube... abraços de carinho, Concha

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

CONCHA, ONTEM NÃO CONSEGUI MAS IREI HOJE , POIS, ASSIM CONSIGO: AMEI FRED... ME ENCATARIA SE VOCÊ ME SUGERISSE ALGUNS CANTORES GALEGOS... POIS AMO A GALIZA QUE SEMPRE VOLTA... NAS FOTOS QUE ME ENCATARAM E ME ALIMENTAM O CORAÇÃO. LI UM POUCO... É MARAVILHOSO.
ABRAÇOS COM CARINHO E TERNURA; JORGE

Concha Rousia disse...

Para começar recomendo para ti esta música: é um alalá que é a música mais ancetral que se consereva na Galiza, agora instrumentalizada, aqui interpretada por Milhadoiro, ouve... se a minha alma fosse música sei que seria esta:

http://www.youtube.com/watch?v=X8-wROWHqkI&feature=related

depois eu envio mais...

Concha Rousia disse...

Aqui no último festival na Galiza, quando estava connosco o Lenine e outros queridos...

http://www.youtube.com/watch?v=vbqhtLh8A1Q

Com muita alegria, eu estava aí é claro... na assintencia :) beijos
Concha

Concha Rousia disse...

Aqui com bom som:

CANTOS NA MARÉ:
A GALEGA UXIA SEMPRE COM OUTROS CANTORES DA LUSOFONIA:

http://www.youtube.com/watch?v=uZVGThkTW7U&feature=related

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Concha, agradeço-lhe demais; irei ouvi-los e sei que amarei...
abraços com carinho
e ternura; jorge