sábado, 21 de maio de 2011

DIÁRIO DE BORDO: LAÇOS DE AMIZADE...

                                                      Jorge Bichuetti

Amanhece o dia. Escuridão matutina; o sol não nasceu, ainda. Silêncio: a Luinha, as árvores, as samambaias, o limoeiro, todos dormem... Estive no meu quintal, a sensação é que somente o luar, claro e encantado, e a minha roseira vigiam, velam, acolhem os andarilhos da noite... Devem ser os deuses naturais dos enamorados e boêmios...
Os álamos sonolentos me saudaram tímidos e envergonhados da própria sonolência...
Ontem, estivemos em duas atividades: atividades da luta antimanicomial e do CAPS-Maria Boneca, instituição de cuidado de crise e reabilitação psicossocial para portadores de sofrimento mental que já tem 20 anos de caminhada, lá trabalho diariamente... Fiz uma conferência: Loucura, crise e  a clínica antimanicomial, na Uniube; na feijoada, apresentei o desfile dos usuários e conversei com amigos...
O Fórum Social Mundial , com propriedade, definiu que a solidariedade é o horizonte da libertação...
Atrevido, ouso dizer que o caminho para o  horizonte libertário é o caminho e a política da amizade, que é, também, uma ética da amizade...
Amizade, rizoma de amigos, de tribos que se sustentam intimamente e que conectam com os grupo e tribos, sempre nas articulações da amizade...
Não mais o poder: sedutor, conquistador, colonializador... A amizade...
A política da amizade revoluciona , pois, substitui burocracia por escuta e diálogo, decisão partilhada; e o poder se dilui na potência do carinho, da ternura e da alegria: amizade é partilha, vidas partilhadas no caminho aventureiro  e ousado de se ir buscar o sol no horizonte da solidariedade...
Na amizade, a vida flui com espaço para nossa humanidade: nela, não somos super-hérois, somos riso e lágrima, silêncio e canto, amor e ódio, paz e agressividade, sedução e recolhimento...Somos vida pulsante nos paradoxos da nossa humanidade...
E temos colo e ombro para num devir guerreiro ousar ser um super-homem: na superação dos próprios limites... na reinvenção de si mesmos...
A amizade é continente; ela nos acolhe nos faz caber na vida... maternagem winicottiana.
A amizade é autenticidade crítica, na suavidade da compreensão; e motor de aceleração, intensificação, na tolerância das rotações do nosso corpo...
... um estar junto para ir além.
... um estar com... na alegria e vitória... e na lágrima e na queda.
Uma ética - o outro que é dor e exclusão, lamento e ferida, o outro que palavra e opinião, o outro que passa e eu nem conheço... é cidadão, é grupo, é inclusão: porém, é um amigo.
Se introduzimos no cotidiano e nas relações sociais e política a ética da amizade reinventamos a vida e o caminho: o verticalismo dá lugar a um abraço; o discurso programático cede e a ternura e a cumplicidade inventa novos sonhos e novos pensamentos... ser direção é amar mais, não poder mais...
Porque:" amigo é coisa pra se guardar do lado esquerdo do peito, dentro do coração,assim falava a canção"... e assim conhecemos o lado esquerdo da vida...

4 comentários:

Elisa Carvalho disse...

Jorge
Tuas palavras nos tormam mais felizes e confiantes na amizade e no homem.
É preciso crer.
Obrigada!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Elisa, não vou negar que fico feliz ouvindo essa sua avaliação.Sou meio tímido, você pra mim é um ícone da arte como eu a amo... Caminharemos pela vida, sonhando... e iso há de trazer ppra nós e para a vida uma possibilidade de sobrevivecência na ternura, na partilha e no amor.
Abraços com carinho e profunda admiração; Jorge

Hermenêuticas de Lou disse...

Boa tarde Dr. Jorge, nunca deixe de publicar seus lindos textos, aqui eles são bálsamos que nos refrescam os olhos e acalentam nosso existir. gratidão por sua amizade. Abraço com respeito e amizade. Lou Moonrise.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Lu, que posamos sempre produzir e nos butrir da bênçao da vida florescente;
Abraços com carinho e ternura. Jorge