segunda-feira, 30 de maio de 2011

POESIA: ENTRE A LUA E O LUAR

                                          NOITE DE LUAR
                                                                Jorge Bichuetti

no luar as estrelas
bailam encantadas
apaixonadas entre
o olhar carinhoso
do poeta andarilho
e a voz acetinada
do violeiro noturno...

as flores no luar
abraçam o sereno
e orvalham a folia;
a roda na fogueira,
entre fagulhas, deseja
os ardores da paixão
no gingar da cantoria...

é a vida: noite de luar
poetiza nos corpos
a valsa ritmada, o baile
da sensualidade vadia
dos versos viscerais da
maga sacrossanta alegria
no carisma da ternura vital...


                                            CAMINHOS
                                                           Jorge Bichuetti

Aconchego? amor,
vida animal...

Romaria? flores,
brotos, madrigais...

Corpos? nuvens,
anjos sensuais...

Deuses? améns,
florescência
natura
pessegueiro
ninhos voo
passarinhos
uma aurora
terna tenra
no portal do sol
um céu
passarinheiro
o amor
novas flores...
Vida nascente,
um novo dia...


                                            ENTRE O AMOR E A PAIXÃO
                                                                        Jorge Bichuetti

Não há amor
longe do abraço
orvalhado de paixão;
nem há paixão
longe da ternura
nascida das flores...

O amor e a paixão
brotam no jardim
entre flores
e passarinhos;
brotam no riacho
entre o húmus
e cachoeiras...

A vida circula
entre carícias
e adeuses;
uma lágrima cai,
um sonho voa...

E o sol adormece
no azul, na linha,
no horizonte...


















                                              POEMA PELA LIBERDADE
                                                                          Jorge Bichuetti

                                                          ( para Lorca e lorquianos.)

Verde que te quero rosa que te quero azul
                                     que te quero negro
                                                         branco
                                                         amarelo
                 vermelho
              belo e Lorca
              beco e Lorca
                                 um luar surreal
                                 uma carícia sensual
                                 uma poesia plural
para que a vida
não mais seja
                   metralhada
                                 na paulicéia
                                 na galiza no quintal
                                 na espanha solar
na porta
na praça
          na rua
          na lua
na vida nua dos sonhadores...

Verde que te quero Lorca
na Porta do Sol
                   um deus
onde anjos cantarolam
a  liberdade civil
corpos andarilhos
céu e estrelas 
                      flores corporais
                                            gritam
                                            gritam:
agora já é
um lorquiano
                   devir
                       porvir
                           bem-te-vi....

10 comentários:

SOL da Esteva disse...

Jorge Bichuetti

Dois em um, Amigo.
A presença do Amor que ora se vive escaldante, ora suave e sempre doce.


SOL da Esteva

http://acordarsonhando.blogspot.com/

Hermenêuticas de Lou disse...

Dr. É lindo o seu zelo ao descrever o amor. É como disses lá no meu cantinho enluarado... A alegria deve sempre enaltecer o amor, jamais entristecê-lo. Abraço e uma semana cheia de luz proveniente do sol, luar e das estrelas, somente assim os animais encontram os riachos para apaziguar a sede, e os românticos poetas encontram mais inspirações para descrever tantos momentos advindos dessa incrível fonte de energia... a natureza. Meu terno abraço a ti sempre acompanhado de admiração e amizade... Lou Moonrise.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Meu amigo SOl de Esteva: tua poesia é linda... e exprime tudo que se desja no amor: calor e suavidade; ardor e ternura.
Abraços com carinho; jorge bichuetti

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Lou, a poesia do amor é um caminho de encontros entre o luar e a aurora... Vitaliza, fertiliza e alegra... abraços com carinho; jorge

Concha Rousia disse...

Fascinante a delicadeza e a força junto do lirismo deste poema para Lorca e para todos nós... Teus outros poemas são igualmente intensos, flores, orvalho, paixão-passarinho que nos faz voar, num sentir sem limites... sempre a ser testemunhado por essa lua divinal... Abraços com carinho, Concha

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Concha, fico feliz que tenha gostado: vamos trabalharum pouco Lorca, uma ideia de Marta de São Paulo de manter postagens sobre ou para ele até o aniversário - 4 de julho...
E seu quintal; quando vejo o meu, imagino o canto da melra e o pessegueriro.
abraços com carinho de Jorge e Luinha.

Concha Rousia disse...

parece-me uma ideia ótima, sabes ele escreveu 10 poemas galegos... ele foi um defensor da nossa língua, vou tratar desses poemas, abraçosss pra ti e Luinha, Concha

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Concha, super... não sabia destes poemas: conheço pouco, irei ler mais... o que já li, amo muito; abraços com carinho,jorge

Marta Rezende disse...

Jorge, adorei suas lorquianas. Muito bom. Viva!
Tô quietinha Jorge. Só vou de Lorca nos próximos dias. Desculpe que não tenho vindo aqui. Tõ evitando escrever, só fazendo o básico do básico.
beijo
Marta

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Marta, irei agora ver sua produção: estava clinicando; amanhã postarei asas do devir lorca... não se preocupe que lhe conto as loucuras.
Abraços com carinho; beijos de lua e luares.
jorge