sexta-feira, 20 de maio de 2011

SOBRE O AGIR COLETIVO...

                                                 Jorge Bichuetti

O individualismo é uma perigosa ilusão... Somos coletividades e nelas emergimos e intervimos, com ações e omissões, com palavras ou silêncios; ativos ou reativos...
Bion devida a vida das grupalidades/coletividades como um caminho que flui do narcisismo para o social(ismo) - sociabilidade solidária.
Tribos, coletivos e grupos nos agenciam e atravessam; e eles são conexões que nos permitem, quanto diversificados e libertários, vivenciar os muitos eus que abrigamos no que acostumamos de nomear como a minha individualidade...
Eu-filho, eu-irmão, eu-cidadão, eu-poeta, eu-sexualidade, eu-trabalho, eu-lazeres e ócios, eu-amores e solidão... um infinitude de singularidades são abrigadas na nossa subjetividade.
E falimos porque elas não se sustentam no isolamento, ninguém é tão poderoso para produzir diariamente tantos sentidos e energia para tantas vidas que compõem uma vida; depois, porque isolados tendemos à perpetuação estagnante e às repetições que nos robotizam na mesmice... E assim para que vivifiquemos a multiplicidade de linhas da nossa subjetividade necessitamos de nos conectar com n grupos, já que nenhum, muito menos uma pessoa é capaz de nos totalizar...
O agir coletivo é caminho de libertação...
Militar é agir...
Agora, para que o tédio e desilusão não venham nos tirar dos trabalhos coletivos,urge escutar Espinoza...
A política está na vida...
Então, por que nos parece tão aborrecida... e com tão pequenos efeitos e grandes desagregações?
Ah! nosso velho Espinoza diz que tudo corre por conta das ações que se dão sob o signo das paixões tristes... estas decompõem os corpos, individuais e coletivos.
Para ele, é necessário criar um agir coletivo que funcione como bons encontros, encontros de alegria... e assim encontros onde os corpos se potencializam e vivem  agir coletivo como um momento de graça...
A política carece de aulas com os coletivos da arte e da festa...
Transformar o mundo de Marx e o mudar a vida de Rimbaud sintetizam um caminho de produção de um agir coletivo que dá sentido e colore nossos destinos...
Somente, devemos trocar burocracia, verticalismo e aridez por ações participativas alegres e transversais, autogestivas e autonanalíticas... Uma política que possa devir-se festa, poesia, magia, utopia e um singelo e leve brincar...


                                  ATIVIDADES:
20/05/2011. 20:00 - FEIJOADA DA LUTA LUTA ANTIMANICOMIAL - FUNDAÇÃO GREGORIOBAREMBLITT, UBERABA...
21/05/2011 - 17:00 - NA PRAÇA SÃO JUDAS TADEU/UBERABA: TEATRO. " A SAGA DO SERTÃO DA FARINHA PODRE", GRUPO DE TEATRO DA MARGEM...
21/05/2011 - EXPRESSO CULTURAL - IDA E OFICINAS EM PEIRÓPOLIS, SAÍDA ÀS 14 HS DA PRAÇA DA IGREJA SANTA RITA, UBERABA...

8 comentários:

Paulo Braccini disse...

Como o ser humano carece desta perspectiva de vida não é mesmo? O SER de coletividade, a partilha, são coisas q o homem moderno abomina e prefere o individualismo estéril. Parabéns pela objetividade e oportunidade do tema ...

bom fds ...

bjão

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Paulo, fugimos do outro e nos mergulhamos numa profundo carência, dai adoecemos de ... fartão, nos fartamos de nós mesmos. Colitivizar a vida eé abrir para o outro e para o amanhã... Fugimos, muito...
Abraços e beijos, Jorge Bichuetti

Jhu -Ybotira- disse...

Olá Jorge, também acredito que o individualismo seja uma ilusão perigosa, mas não são todos que veem assim... Não tenho tido tempo ultimamente para postar no blog ou vir até aqui comentar, estou trabalhando muito... Mas sempre que houver um tempinho, passarei por aqui.

Abraços, Jhu Ybotira

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Jhu, sua presença é alegria e paz: gente de coração valente e terno; o individualismo nos mata, pouco a pouco, já as tribos- coletividades, nos humaniza, na tternura da lágrima que cai e do sorriso que vira foco de partilha... Abraços com carinho, Jorge

Concha Rousia disse...

Pois é amigo Jorge, e preciso criar esse caminho de libertação com o agir coletivo, mas acho que não vai ser fácil, os seres humanos estamos já tao isolados por essas barreiras criadas pelas necessidade de um sistema que nos necessita precisamente assim: como diria Foulcaut, 'corpos dóceis' e essas barreiras foram depois plantadas em nosso território mentai (conceito que adoro, criado pelo professor de Rio de Janeiro Evandro Vieira Ouriques) a quem tenho por irmão... Mas mesmo que seja difícil buscar este agir coletivo é, sim, o único caminho de libertação para o ser humano. Um abraço com carinho e o canto do passarinho desde o amanhecer da Galiza, Concha

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Querida Concha; não parece fácil o agir coletivo, já nossos corpos dóceis andam acostumados a desconexão; porém, se levamos vida e alegria e usamos mediações como a art e a festa a caminhada pode se r menos áspera. Dai o valor do Clube e de ooutras experiências que falam com alegria.
Onte, tivemos duas atividades: uma conferência para uns trezentos jovens e uma feijoado com uma dozentas pessoas: todos querendo aproximar das atividades coletivas... trabalho de forminha com muita dor nas cigarras que animam o processo cantando.
Abraços com carinho... Jorge Bichuetti

Tânia Marques disse...

Jorge querido, poucas pessoas têm, mantêm ou sustentam esses ideais solidários, poucos pensam no coletivo, ou melhor, poucos pensavam, pois hoje as insurgências que estão acontecendo por aí estão nos dando provas do que o povo é capaz, basta que ele tire a venda dos olhos para dar-se conta da exploração a que está submetido. Nada mais lindo do que ouvi ontem de um aluno no final de minha aula: "Muito obrigado, professora, por esta aula tão maravilhosa!" Veio ele apertar a minha mão, abraçar-me na hora da saída, certamente porque nele os ecos de liberdade das minhas falas bateram mais altos. Beijos, amigo amado!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Tânia, um professor que agenciam o pensar coletivo e as utopias libertárias fazem a diferença na vida dos que acenderãoe sustentão as chamas da vida dno amanhã... Hoje, o o individualismo liquifeito é um amorfo inimigo do agir coletivo que sempre se pautará na sociabilidade solidária, vincular e encontro.
Abraços com carinho, e uma remoçada admiração, ternura sempre ... para todo ... . Jorge