segunda-feira, 27 de junho de 2011

ELOMAR E AS GERAES

Geraes... canto do sertão cerrado
no luar nascente rios e riachos e a 
poesia da poeira cavalgada no ar...


um canto entre passarinhos e verdes
matas... e a fome corpo-alma zumbido
no corrisco da encruzilhada: liberdade.
             jorge bichuetti


Viola proseia a noite
e o dia na carpideira
chora a seca e a dor
da vida erva daninha
entre sonhos e luares.
                 jorge bichuetti


6 comentários:

Rosi Alves... disse...

Meu querido!que lindo amei assim do tamanho do mundo todo.beijos uma semana de muita paz e amor.

Maria Alice disse...

Dr. Jorge, como dizia Vinícius de Moraes: "A gente não faz amigos, reconhece-os".

...meu querido amigo, só hoje fiquei sabendo que estava acamado, e que já está melhor.
Estou longe, mas perto em pensamentos positivos.
A doçura da Lua cura.
Afetuoso abraço.
Maria Alice

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi: as cantigas do nosso sertão com as voragens do tempo ... e o fogão acalentando as vidas. Abraços ternos, jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Maria Alice:saudades e preocupação com vocês... queria o telefone que na minha ânsia não gravei. Abraços, estou melhor. O ar já não me falta, pois, era triste ver os sonhos rolarem no chão. Abraços com ternura e carinho, eterno; jorge

Rosi Alves... disse...

Pensei que estivesse melhor...Que o ar não lhe falte e mesmo assim se ocorrer que todos os ventos de cura sopre em sua direção.um abraço querido desejo melhoras!um abraço e uma terça de muita paz e amor.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi: hoje, já me levantei disposto. Alegre, de ter permanecido com alguma produção na fragilidade e com os sonhos de ir, seguir, caminhar nas veredas do amor e da poesia. Abraços com carinho, jorge