domingo, 19 de junho de 2011

A MARCHA DA LIBERDADE E AS LUTAS SOCIAIS

                                                   Jorge Bichuetti

O Brasil desperta e volta a viver a rua como espaço de construção da cidadania que não se deseja  somente a condição passiva de recebimento dos direitos constituídos: o Brasil na Marcha da Liberta volta a ter voz... o povo recomeça sua caminhada para ser protagonista, expressão vivos de desejos e sonhos.
Em Uberaba, a Marcha da Liberdade, caminhou pacífica, alegre e cheia de vida... Com uma concentração de mais de duzentos jovens, viveu um momento de aglutinação, coletivismo, espírito e de luta e ternura: a inclusão no olhar e no cantar, a solidariedade e o respeito no se abraços pelos olhares cúmplices, que romperam o individualismo e gestou um coletivo de brilho e encantamento na reinvindicação da liberdade.
Incluir, sim; repressão jamais... Liberdade, agora...
Vivenciou tão somente os esperados fatos lamentáveis: primeiro, a polícia militar numa ação de provocação prendeu sem fragrante quatro jovens que estavam circulando pelo centro da cidade de moto, no exato momento que a passeata passava... ( fato que revela o fascismo e estado repressivo que permanece inalterado na democracia ); segundo, a ausência dos partidos de esquerda e dos sindicatos...
A velha política não consegue na sua miopia enxergar a potência insurgente dos novos movimentos sociais...
No Brasil, quarenta cidades realizam com sucesso a Marcha da Liberdade...
A luta continua...
Penso que é necessário organizar e intensificar o debate democrático sobre a descriminalização da maconha e do direito de cultivo.
Porém, cabe incluir e expandir a luta...
Temos Belo Monte, o Código Florestal, a Comissão da Verdade, o PLC 122/06 ( que criminaliza a homofobia), temos as lutas sociais por direitos e pela vida que são a mesma da Marcha da Liberdade...
A hora é de lutar... A hora é de participar... Expressar, questionar, intervir...
A vida voa nas asas da liberdade...
E a liberdade é a matriz do mundo solidário.
Sem liberdade, sem solidariedade, a vida fenece na escuridão vazia da desumanidade..

6 comentários:

Vid@cigana disse...

Participar da luta pelos direitos, desejos e asporações populares memenchem de força pra acreditar na transformação verdadeira da consciência planetária! Obrigada Senhor!
Abraços ciganos

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Sumaia: a vida caminha e no caminho as lutas pelo amor e pela solidariedade nos recria humanidade redimida. Abraços com carinho, jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Sumaia, não sei trocar, depois que publico, verei com Adofo... Mas um comentário lindo que é forte e se nota que foi a velocidade da digitação. Abraços com carinho, jorge

Rosi Alves... disse...

Interessante gostei...mais que a liberdade teríamos que ter respeito amado poeta.será que precisamos mais de liberdade ou respeito?ou na sua opinião os dois tem o mesmo sentido?na minha opinião o respeito deveria vir primeiro assim a liberdade viria espontaneamente.eu admiro pessoas como você que mesmo como tudo esta não perde a fé nas pessoas em um mundo melhor.um braço domingo de paz!!!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi: se respeitamos incluimos o direito à liberdade; e se vivenciamos a liberdade, respeitamos. Senão, o livre torna-se fascista e oprressor - a vida mediada pelo amor é conjugação de liberdade e respeito, solidariedade. Abrraços, jorge

Anne M. Moor disse...

Amém!

bj

Anne