sábado, 18 de junho de 2011

POESIA: ECLIPSE VISCERAL

                                 CORAÇÃO ANDARILHO
                                                          Jorge Bichuetti

Naveguei no vento,
com o meu coração
carregando as memórias
do tempo.

Meu coração, um barco,
arqueólogo da saudade:
ruídos, imagens, lágrimas
do tempo.

O tempo passou deixando
no caminho folhas secas,
flores murchas, adeuses,
páginas

brancas , nuas, doce espera...
Meu coração segue no vento,
só para escrever o poema 
do porvir.

Andarilho, caminha no tempo,
busca e espera, construção
do amor que voando tece o 
recomeço

na aurora do inusitado porvir;
onde as sementes arquivados
hão de germinar e florir luzes,
um novo tempo...


                                     ESTES PÉS
                                                  Jorge Bichuetti

minhas mãos já bailaram
na valsa das carícias do
amor - êxtase e paixão...

minha pele já acetinou-se
no delírio do desejo e
amou - flores e luares...

já estes meus pés não
esquecem que o caminho
fere - pedras e espinhos...

estes meus pés amam,
verdadeiramente, pois,
perambulam indigentes
de carinho - calos e suores....

eles seguem e no caminho
não são vistos na dor aguda
com que sustentam a vida do
amor - lama e sangue...

os pés que caminham são
asas do amor que nasce
nos redemoinhos do tempo,
vento - valsas e abraços,
articulações da vida entre
a aurora reluzente e o meu 
corpo - eclipse visceral...


                                        MEU CORPO
                                                       Jorge Bichuetti

Meu corpo não possui células
tronco veias e artérias, somente
pele e sonhos o compõe um
diáfano receptáculo do amor...

Ele é ums bricolagem entre
o canto dos passarinhos e
o lírio que nasce nos pântanos...


                                   ENTRE
                                          Jorge Bichuetti

Entre o pólen e o néctar,
há a flor
borboletas azuis
a lua
um amor...

Entre meus pés e o horizonte,
há a estrada
guerrilhas siderais
um caminho
o sonho...

Entre a noite e a aurora,
há estrelas
faíscas de neón
o sereno
um despertar...

A vida no entre o amor e a poesia,
acontece
floresce
amanhece -
num teimoso recomeçar...

6 comentários:

SOL da Esteva disse...

Jorge Bichuetti

Conjunto de Poemas de meditação e de vida interior.Apreciei as ideias manifestas.

Abraços

SOL da Esteva
http://acordarsonhando.blogspot.com/

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

SOL: obrigado pelo carinhoe atenção. A poesia dá vida, horizonte e nos nina... e umcaminho terno de existir, voando.
Abraços ternos, jorge

Rosi Alves... disse...

Amei todos os poemas e de uma sensibilidade de quem sabe viver e amar sem barreiras.um abraço

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi, seu carinho me anima; abraços ternos , jorge

Rosi Alves... disse...

Suas mensagens e suas poesias estão me fazendo renascer para o novo...me levando a compreender coisas que não compreendia aceitar as que não aceitava e o principal caminhar e ser feliz.um abraço espero que a marcha tenha sido maravilhosa!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi: a marcha foi bela; jovens angelicais na leveja de viver ternos e alegres; nunca esqueça que estou aquie pensar juntos é alegria para mim, abraços ternos, jorge