terça-feira, 21 de junho de 2011

POESIA: VOO INSURGENTE

                                         O GRITO
                                                    Jorge Bichuetti

Socado no pilão:
alma triturada
uiva sibilante
na agonia da opressão...

Índios, escravos, meninos,
na senzala do abandono
rugem de fome e de sede
co'ganas
de gritar: não!...

Pés feridos, mão estendida,
a liberdade esmola;
nas ruas e nas esquinas,
pede 
ventos de compaixão...


                                    HAIKAIS DO CAMINHO...
                                                                Jorge Bichuetti

cintilantes tons
dão ao sonho uma toada
de valsa azulada.
***
patativa trina
versos prateados no luar
pra ninar os deuses...
***
quando a vida chora,
os homens se agitam ébrios,
 crendo-se os punhais.


                                   ESFINGE DO TEMPO
                                                          Jorge Bichuetti

Lembranças voltam nos ventos
do desgosto onde as ilusões
são soterradas e o caminho
se torna um comprimdo beco.

Fantasias coloridas no arco-íris
nascem no gosto da vida sonhada,
entre flores, estrelas e passarinhos,
quando o caminho é a imensidão
do azulado céu sem fronteiras...


                        O POVO DA RUA
                                                    Jorge Bichuetti

perambulam
              nus
       lágrimas
no chão

romeiros 
            pus
       fétidas
escoriações

lamentos
          crus
        rezas
na capela
          nua
do calçadão

deuses
         luz
   choram
velam
          a
humana
          escuridão...


2 comentários:

Rosi Alves... disse...

HAIKAIS DO CAMINHO...
Jorge Bichuetti

cintilantes tons
dão ao sonho uma toada
de valsa azulada.
***
patativa trina
versos prateados no luar
pra ninar os deuses...
***
quando a vida chora,
os homens se agitam ébrios,
crendo-se os punhais.
*********************
AMEI RS!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi: a poesia me dá vida, minha companhia mais terna e esperançosa. Abs ternos, jorge