quinta-feira, 23 de junho de 2011

SOCIEDADE DE AMIGOS: O ENCANTO DAS TROVAS; EVA REIS...

                                          TROVAS

Eu vi a lua de dia
e, à noite, o sol no espaço,
quando de amor me incendia
no calor de teu abraço.
               ***
Pula, moça, devagar;
teu noivo sopra a fogueira:
o fogo vai alastrar ,
te queimar de outra maneira.
              ***
As lembranças, por vaidade,
o jovem conta a rigor...
mas quanto soma a saudade,
rendendo jurosos de amor!...

                          EVA REIS. In: CANTARES

4 comentários:

Rosi Alves... disse...

lindo!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi as trovas são violetas do paraíso da poesia... singelas e belas: abraços com carinho, jorge

Hermenêuticas de Lou disse...

Vim rastreando poesia, lua, noivo e saudade, não é que vim parar aqui! Tudo que escreves soa como as faiscas de fogueiras, aquecem e dão coloridos nas noites de São João. Tudo rimou agora Jorge. Olha mudei o jeito de lhe falar sem perder o respeitoso Dr. okay? A Lou Moonrise é mais light agora. Meu sincero abraço com admiração.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Lou, amigo, não use o Dr... A amizade tece vínculos entre corações e os corações sãoasas no céu.
Assim, que a gripe me tirar da cama quero ver seus escritos que sempre animam e expandem nossa visão.
Estou postando, lento... porém, cumprimendo meu dever.
Abraços com carinho, jorge