domingo, 19 de junho de 2011

SOCIEDADE DE AMIGOS: A POESIA NO FIO DA NAVALHA

                             É UMA LINHA TÊNUE

segue
dobra-se em curvas

se sobe
onde some?
se desce 
onde morre?

não de pontos
ou rimas
o fluxo

insano

mas existe

               HUGO MACIEL DE CARVALHO


do livro: a poesia em uberaba: do modernismo à vanguarda / guido bilharinho

6 comentários:

Rosi Alves... disse...

Adoro poesias assim aplausos para o poeta!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

rosi: ave, poetas - pão e vinho do porvir. Abraços carinho e paz - jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

rosi: ave, poetas - pão e vinho do porvir. Abraços carinho e paz - jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

rosi: ave, poetas - pão e vinho do porvir. Abraços carinho e paz - jorge

Hugo Maciel de Carvalho disse...

Jorge, fiquei muito contente por encontrar meus poemas publicados no seu blog! As imagens valorizaram bastante o texto!
Rosi, muito obrigado pelos elogios!
Um abraço,
Hugo

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Querido Hugo, a allegria é nosso: amamos seus poemas; e este é um espaço coletivo que é seu. Ternamente, abraços carinhosos. jorge