sábado, 30 de julho de 2011

DIÁRIO DE BORDO: VIVER É RECOMEÇAR

                                        Jorge Bichuetti

No silêncio da madrugada, escuta-se outros vozes... As vozes da vida. O vozerio do dia frenético cala a palavra da vida. Mergulhado no silêncio, vou, pouco a pouco, escutando a vida... Um pássaro, um sino, um galo... ecos no vento, dizendo na musicalidade da aurora que viver é recomeçar... A noite na magia do luar sepultou o ontem; e, agora, na aurora podemos recomeçar um novo dia... A Luinha persiste sonolenta... Eu, aqui, solitário. enternecido pelo orvalho matinal, penso...
Um dia, um novo dia... podemos recomeçar...
Podemos semear ternura e meiguice... florindo nossos caminhos...
Podemos sorrir e cantar... alegrando nosso caminhar...
Podemos amar e partilhar... povoando nossa vida andarilha...
Podemos perdoar e ser compassivos... suavizando nossos voos existenciais...
Podemos colorir de esperança e sonhos o horizonte... vitalizando o existir na caminhada e a caminhada do existir.
Podemos recomeçar: recomeçar é re-tomar a estrada e no estradear, reinventar nossa vida e a vida da humanidade...
Há no caminho tantos que nos esperam...
Há caídos que para o ato de se reerguerem esperam a nossa mão...
Há desiludidos e desesperados que para renascerem no sonho de crer em si próprios e na vida esperam uma, a nossa palavra...
Podemos viver, vegetativos... invisíveis que olham o outro o diluindo numa cruel invisibilidade...
Mas, podemos viver, recomeçando o caminho, com a generosa e altiva atitude de agir e interagir, fazendo a diferença...
Ser... no caminho. Ser palavra e silêncio, escuta e diálogo... Ser compreensão e acolhimento, ser a voz dos excluídos e a luta pela vida de justiça e dignidade...
Para muitos, recomeçar é, tão-somente, repetir os passos do ontem... cuidar dos próprios interesses... cativar suas conquistas pessoais...
Esquecem que somos na humanidade... com a humanidade... que somos a humanidade...
E no caminho do dias que recomeça a vida grita, clama, pede... superemos as dores da desumanidade...
Viver é recomeçar... Mas, não recomeçamos a caminhada alheios aos anseios da própria vida.
A dor, a ferida, o sangramento do outro é dor, chagas da vida...
Viver é recomeçar... mas, recomeçar é caminhar carregando o ofício de ser para a vida o caminho.
Ser caminho é ser florescência primaveril, efervescência vital... é ser pão e vida dos que alijados do caminho pelas injustiças do mundo, na sua exclusão, na sua condição de vidas amputadas, são vozes da vida que clamam por dignidade, paz e inclusão social.
A vida existe... e re-clama...
Sejamos no dia que começa as mãos e o coração da vida na construção dos caminhos do amor...

4 comentários:

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

Bom dia meu companheiro
ahhh como eu gostei desse texto ...!
Vou deixar aqui minha citação favorita....
“Neste dia perfeito, em que tudo amadurece e não apenas as uvas se tornam douradas, um raio de sol cai justamente sobre a minha vida: olhei para trás, olhei para frente, e nunca vi ao mesmo tempo tantas e tão boas coisas. Não foi em vão que, hoje, sepultei o meu quinquagesimo sexto( grifo meu, era-me permitido sepultá-lo – o que nele era vida está salvo, é imortal (...) Como não deveria estar agradecido por toda a minha vida? Eis porque narro a mim próprio a minha vida.”
(Nietzsche , Ecce Homo – Prefácio).

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Adilson: sempre que lhe escuto, me renovo... Sua presença é vida reluzente. Abraços com carinho, jorge

Alexandre Lacerda Alves disse...

Jorge,
Nesse instante, ouvindo Secret Garden, Michele e eu nos emocionamos com esse texto, particularmente porque recomeçar ou re-começar nem sempre é fácil ou ainda facilmente divisado ante tudo que nos toma e retoma nas repetições que, diariamente, ofuscam-nos o sonhar... e, agora, refeitos, realizados e eternecidos, vamos re-pensar... para melhor sentir. Abraços com saudade, Alex e Michele

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Alex e Michele: saudades... recomeçar, reencantando o existir é a magia da eternidade no minuto.
Abraços com carinho e muita ternura, jorge