quinta-feira, 25 de agosto de 2011

BONS ENCONTROS: AUTORETRATO DE UMA TERNA GUERREIRA; CORA CORALINA À LUZ DE TRES BELOS POEMAS

POEMAS
1.
Aninha e suas pedras
                  Cora Coralina
Não te deixes destruir...
Ajuntando novas pedras
e construindo novos
poemas.
Recria tua vida, sempre,
sempre.
Remove pedras e planta
roseiras e faz doces.
Recomeça.
Faz de tua vida mesquinha
um poema.
E viverás no coração dos
jovens
e na memória das
gerações que hão de vir.
Esta fonte é para uso de
todos os sedentos.
Toma a tua parte.
Vem a estas páginas
e não entraves seu uso
aos que têm sede.
2.
Conclusões de Aninha
                      Cora Coralina
Estavam ali parados. Marido e mulher.
Esperavam o carro. E foi que veio aquela da roça
tímida, humilde, sofrida.
Contou que o fogo, lá longe, tinha queimado seu rancho,
e tudo que tinha dentro.
Estava ali no comércio pedindo um auxílio para levantar
novo rancho e comprar suas pobrezinhas.

O homem ouviu. Abriu a carteira tirou uma cédula,
entregou sem palavra.
A mulher ouviu. Perguntou, indagou, especulou, aconselhou,
se comoveu e disse que Nossa Senhora havia de ajudar
E não abriu a bolsa.
Qual dos dois ajudou mais?

Donde se infere que o homem ajuda sem participar
e a mulher participa sem ajudar.
Da mesma forma aquela sentença:
"A quem te pedir um peixe, dá uma vara de pescar."
Pensando bem, não só a vara de pescar, também a linhada,
o anzol, a chumbada, a isca, apontar um poço piscoso
e ensinar a paciência do pescador.
Você faria isso, Leitor?
Antes que tudo isso se fizesse
o desvalido não morreria de fome?
Conclusão:
Na prática, a teoria é outra.
3.
Assim eu vejo a vida
                   Cora Coralina
A vida tem duas faces:
Positiva e negativa
O passado foi duro
mas deixou o seu legado
Saber viver é a grande sabedoria
Que eu possa dignificar
Minha condição de mulher,
Aceitar suas limitações
E me fazer pedra de segurança
dos valores que vão desmoronando.
Nasci em tempos rudes
Aceitei contradições
lutas e pedras
como lições de vida
e delas me sirvo
Aprendi a viver.















07 DE DE SETEMBRO: 9:00 
- NA PRAÇA DA IGREJINHA DE SANTA RITA - MANIFESTAÇÃO: GRITO DOS EXCLUÍDOS

2 comentários:

☯Lou❈M❂✪nrise❀ disse...

Pensar que segurei a mão de Cora. Ouvi suas palavras trêmulas. Adorei conhecê-la. Sábias e lindas palavras. Uma mulher guerreira realmente. Abraço com carinho Jorge. Lou Moonrise.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Lou: Dona Cora é magia e ternura; força guerreira... Abs ternos, jorge