domingo, 28 de agosto de 2011

POESIA: VEREDAS E FLORADAS; UM BORBOLETEAR NO HORIZONTE DO AMOR

                                 AMIGA
                            Jorge Bichuetti


Amiga, foste a alegria
colorindo mi'as lágrimas;
nem percebeste mi'a morte
anunciada num olhar,
opaco e cinzento;
mas, chegaste com flores e palavras,
cantigas do coração e do vento...
Me despestaste... e vi, nas tuas mãos,
a força guerreira da ternura;
já no teu coração, os sonhos
da vida que recomeça
brincando de tecer no ar
com as cantigas do vento
a poesia da esperança
num intransitivo amar...


Assim, renasci...
Corpo e vida remoçada;
canto passarinheiro,
um novo caminho...


Agora, renovado... pelos deuses
da amizade... um alado, irei,
entre flores , borboletear...


                             SERESTA MATINAL
                                             Jorge Bichuetti


Madrugada. Cantos voam no infinito;
lá, entre estrelas, ecoam... as vozes e a
cantiga do amor eternizado no terno
carinho que desenha na pele
o mapa do porvir...


Ouvalho. Corpos molhados na relva;
ali, entre flores, bailam... o êxtase e as
contrações do cio cósmico, singelo
poema do amor que na vida
ativa no sol o devir...












                    FLORADAS DO AMOR
                             JORGE bICHUETTI      

Nossos pés, semeiam,
na ternura vivida, novas
floradas do amor...

Se pissamos em espinhos,
é só a velha saudade,
o desejo negado eo 
nosso medo, medo
de ser feliz...

O amor floresce no chão;
mas, nele, brotam as sementes
caídas da imensidão...     














                            
                  VEREDAS
                                 Jorge Bichuetti      

Andamos, de mãos dadas,
por veredas verdejantes e
tecemos na estrada o amor
da estrela que brilha e baila
sob o encanto do luar...

Amamos, nas veredas turvas,
porém, nunca na escuridão...
No seu corpo brilha o cosmos,
meu corpo, no seu amor,
é vela acesa no mar...

Assim, juntos somos:
o amor nas veredas da vida -
um sonho encantado no céu,
no azul, um barco ondeando
entre a valsa do carinho
e a  ousadia do navegar...  

                                       

4 comentários:

Mila Pires disse...

Jorge, que coisa boa esse nosso jornadear poesias e sonhos...remoça a todos...
Beijos...com carinho...

Para um poeta:

Escrever para um poeta
É muito mais que desenhar letras
Juntá-las em palavras,
Escrever para um poeta
É transcrever sentimentos
Sentidos, dores... e amores
É desenhar cenários,
Por vezes... imaginários
É possuir liberdade
Em qualquer idade
Ou tempo,
É dominar o sonho
E transformá-lo
Em realidade
É vivenciar cada letra
Cada palavra combinada
É ser feliz
Aprendiz
É falar nas entrelinhas
Coisas miudinhas
Que faz encantar
É tecer a literatura
E deixá-la pronta
Para amar
Escrever para um poeta
É caminhar em linha reta
E ser atleta
Na nobre arte
De poetar.
(by Mila Pires)

Samara disse...

Imensamente alegre por escutá-lo cantando novas canções, vê-lo ousando novos voos, dançando a vida renovada; deixando a luz do sol refletida na lua, brilhar em seus cabelos e alma de índio guerreiro. Com carinho, samara.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Mila: abraços com carinho... sua poética me parece que mantém um parentesco com a mi'a: pergunto? somos as vozes da ternura nos caminhos de flores e espinhos da vida?... lhe adorp; abs ternos, jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Samara: sua alegria e sua amizade... sua arte de existir na ousadia do horizonte azul, me encanta... lhe adoro, abs ternos, jorge