quinta-feira, 27 de outubro de 2011

DIÁRIO DE BORDO: LIVRES VOAM OS PASSARINHOS...

                                     Jorge Bichuetti

A liberdade é um valor ético e ontológico inalienável da humanidade... Toda servidão, toda subserviência retrata a vida num processo de desumanização...
Não existe crescimento íntimo longe da conquista da capacidade de autonomia, auto-governança...
Todo poder que não se transverlalize, via autogestão, engendra subjetividades assujeitadas...
O assujeitamento é vida mortificada, amordaçada, formatada, dominada e oprimida...
Assim, a cidadania tutelada é prenúncio da caminhada da cidadania plena...
A vida não é partida nem chegada; é travessia... Construção partilhada...
Muitas vezes, queremos promover a vida do outro, subjugando-o aos nossos valores... Neocolonialistas, não cremos na capacidade do outro refletir, questionar, inventar o caminho da sua própria alteridade...
Não é verdade que cuidamos do outro dando espelho... Lhes ofertamos uma fotografia que , no fundo, é, tão-somente, um auto-retrato...
Educamos, assim... Cuidamos, assim...
Evitamos que o outro entre no cotidiano das nossas vidas de cidadãos, acrescentando a sua singularidade... a sua diversidade...
No passado, excluímos, isolando... numa sociedade disciplinar, asilar...
Hoje, capilarizamos o controle e no cotidiano das relações, efetuamos uma uniformização neocolonialista...
Apagamos as raízes... Anulamos as identidades grupais...
Queremos o homem genérico...
Queremos uma sociedade amorfa, silenciosa e subjugada...
A globalização multiplicou as informações; minimizando a comunicabilidade, a livre-expressão, a criatividade...
As rebeliões, que florescem por todo canto do mundo, não são apenas um protesto que expressam necessidades materiais...
A multidão nas ruas falam que já querem a mudez e a cegueira institucionalizada...
Desejam protagonismo... um lugar na vida e na história...
Aqui, estou no meu quintal... livres voam os passarinhos... cantam, aninham, amam... tecem com as cores da aurora um novo sonho...
A massa amorfa dos mutilados é uma incubadora da solidão cinzenta do individualismo camuflado...
O outro é um ser singular... um processo vitalizante, a florescência primaveril...
Ele, assim, visto e sentido, é a grande chave...asas que nos dão o voo que necessitamos ousar para saltar o deserto que devasta o mundo na angústia e no desespero que esvaziam a vida e nos infelicita, minuto a minuto, na extensão da escuridão que assombra o tempo... e turva o futuro...

7 comentários:

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

TENHO PASSADO POR AQUI SEM TEMPO DE DEIXAR MEU RASTRO

testo poético e perfeitíssimo ... interessante tb como eu precisava ler isso
abçs meu amigo de passagem

Retiro Terramour disse...

OI JORGE ,SEU EQUILÍBRIO ONTEM ESTAVA MESMO NA CORDA BAMBA COM A CHEGADA DO POVO DE CONCEIÇÃO DAS ALAGOAS;POR ISSO ATÉ ME DESPEDIU MAIS CEDO SE ESQUECENDO QUE EU TINHA PEDIDO REMÉDIO. COMO FOI COM A TURMA?FICOU ATÉ MUITO TARDE? SEU BLOGUE PARECE QUE SAIU AS 2 DA MADRUGADA. QUANTO A MIM ACORDEI A NOITE DE HORA EM HORA MAIS JÁ CONSEGUI ANDAR E NADAR PELA MANHÃ. COMO TODO IDOSO VOU LHE PARECER NUM MUNDINHO PEQUENO MAS JÁ FIZ UM BOCADO DE ANDANÇAS E ESTOU NO TERRAMOUR.SANTUZZA.

Retiro Terramour disse...

peguei no seu blogue esta frase que achei linda e usarei num trabalho.
A VIDA NÃO É CHEGADA NEM PARTIDA:
É TRAVESSIA... CONSTRUÇÃO PARTILHADA.


SANTUZZA

Vera disse...

A vida não é partida nem chegada; é travessia... Construção partilhada...
Muitas vezes, queremos promover a vida do outro, subjugando-o aos nossos valores... Neocolonialistas, não cremos na capacidade do outro refletir, questionar, inventar o caminho da sua própria alteridade...
Não é verdade que cuidamos do outro dando espelho... Lhes ofertamos uma fotografia que , no fundo, é, tão-somente, um auto-retrato...
Educamos, assim... Cuidamos, assim...

Dr. Jorge, como sempre, como sua leitora atenta e ávida de conhecimentos, neste seu texto, me chamou a atenção esta afirmação: "Não é verdade que cuidamos do outro dando espelho..." Reflitamos juntos...Como fica a instituição escola nesse contexto? Nem digo famílias, pois nem toda cça tem família como a maioria da sociedade a concebe. O educando necessita de exemplos (espelhos)...Eu entendi direito? Ou a minha leitura está muito frágil? rsrsrsrs
Obrigada, Doutor, o seu Blog é muito bonito. Preciso dele e muito.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Adilson; você tem estado aqui mais do que pensa...sua poética e sua sabedoria, de ir tecendo palavras no voar sobre os abismos; para, então, pousar, um cais.... ternura de vida... rabiscada no horizonte azul da utopia... meu carinhoso abraço, jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Santuzza, me desorientam e me reorientam; madrugou... a você meu eterno carinho; jorge ( a frase é provocativa e desafiadora.)

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Vera, querida, se pegamos esa frase e repensamos escola-lar-trabalho-ato médico; reinventamos o encontro... a escuta e o outro... com sua lamúria e sua ferida... ai, ajudamos com... na necessidade enão nas nossas projeções... um carinhoso abraço... jorge