terça-feira, 15 de novembro de 2011

A FORÇA DA TERNURA

                       Jorge Bichuetti

O mundo treme... diante da ternura que é vida clamando pela aurora. Eles se acostumaram com a vida forjada entre o bem e o mal.... Mas, agora, para além do bem e do mal, há a vida... Vida solidária e de partilha... vida no entre... vida inventada na potência afirmativa dos sonhos e desejos; aurora de libertação... Nerm mocinho nem bandido... Um povo protagonista escrevendo a própria história na conjugação da lágrima que chora com o canto de louvor... Arte e artimanha; uma nova rebelião... Não se busca o póder, o poder é um irmão... Partilhando no caminho os sonhos de vida, vida de libertação...
                                    ***
Esquerda versus direita?... fantasmagórica ilusão. Todos juntos numa prancha inventando o amor...
A mata e a queimada, o jagunço e o traidor.... estão fora da jornada, verdejante paz e amor.... O novo fecunda a terra e esta floresce rápido... o deserto se fertiliza. Reina o povo e a alegria, num amor que semeado nem precisa ser decretado...
                                         ***
A fome e a miséria perderam sua função: a vida voa liberta, longe dos males da opressão...
                                        ***
O que será do nosso pais? sem a força da opressão?...  O povo organizará sua própria libertação...
                                        ***
Um dia, o sol chegará e encontrará nossa fogueira.... verá que noite e dia é vida sem escuridão...
                                      ***
Na aurora, eu quero ver... a vida florescente... sem estgima, sem ódio: todos irmãos dos irmãos... um só povo, nu'a só Terra.... terna humanidade, a vida fecundando o sol da suavidade...


amar é libertar-se e viver.... intensamente.

2 comentários:

edumanes disse...

O mundo treme
O povo trabalha
De fome geme
Humilde não ralha
Os governantes
São uma canalha
Não transparentes
Quando chegará
A hora da verdade
Que o povo cantará
A vitória da liberdade?

Desejo uma boa semana para você,
amigo Jorge,
Um abraço
Eduardo.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Eduardo, ym semana azul; abraços ternos, jorge