quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

DIÁRIO DE BORDO: UM ANO NOVO NA TERNURA DAS MANHÃS... UM SONHO DE PASSARIN...

                                      Jorge Bichuetti

A vida amanheceu orvalhada de sonhos... Não vi o luar, nem escutei os passarinhos que cantaram e se foram, voando livres na amplidão do azul do céu... Mas, o aconchego no ar ficou... A brisa suave da manhã contagiou o verde e o azul; assim, cheguei no quintal e sentindo a leveza do novo dia, ali, fiquei um bom tempo, respirando a ternura que havia tecido nas folhagens e nas flores um manto de suavidade...
A Luinha, meio sonolenta, queria correr e brincar... Logo, fugiu dos braços e adormeceu, novamente...
Sozinho, então, me pus a pensar... no ano que termina e no que já anuncia a sua chegada...
Um novo ano... 
Quando jovem, um novo ano era tão somente os festejos alegres e intermináveis... Agora, já não é assim... Tão logo senti o anúncio do novo ano, de imediato, comecei a sonhar um plano de vida nova para passar pelo tempo e deixar que o tempo me leve, no compasso das realizações que dão vida à vida e dão sentido ao caminho...
Não quero ouro nem prata... quero amor e paz, solidariedade e partilha... Quero viver, semeando os frutos de um novo tempo...
Diante do poder, quero ser a cidadania viva e atuante... a luta por incorporar no meu corpo e no corpo da vida a ética do bem comum...
Quero aprender a amar... Não uma teoria sobre o amor... Quero aprender a amar no dia-a-dia... no borboletear do tempo... Amar, se dando; alegrando o outro e a vida... Amar, multiplicando a paz, e combatendo a exclusão, a violência, a miséria e o desamor...
Quero ser feliz... Mas, não quero o riso raso das alegrias alucinógenos... Quero a felicidade que brota nas "horinhas de descuido"...  Quero a felicidade de ver e celebrar a paz e a amizade... aliada a felicidade de vencer o comodismo e ir pelo caminho, lutando sempre pela vida de dignidade, liberdade e justiça, com todos e para todos...
Não me é insensível a alegria de nos ver galgando o lugar da sexta economia do mundo... Meu sonho, contudo, pede mais... Quero a alegria de celebrar a vitória das florestas riachos, dos povos indígenas e dos favelados.... Quero o Xingu em festa... quero fim da violência e a plenificação da cidadania ampliada na efetivação nos caminhos do Brasil da justiça social e dos direitos humanos...
Quero poesia e sonhos, ternura e aconchego... Para mim e para todos, por isso, quero a erradicação do trabalho escravo e do analfabetismo, quero a criminalização da homofobia e fim de todos os preconceitos e intolerâncias...Quer nossa juventude, cuidada e mobilizada pela arte de existir na alegria e na existência como arte de criar e reinventar no caminho a vida e o mundo... não há quero criminalizada pela nossa incapacidade de criar um mundo feliz e continente, capaz de seduzi-la mais do pode a sedução das drogas...
Eu quero viver... e viver com meu povo numa caminhada de sonhos e libertação...
Ano novo, vida nova... um novo recomeçar... 
Será sonhar demais desejar o Brasil na condição estelar de país da generosidade, da ética e da inclusão amorosa e terna?...  é  loucura querer um Brasil onde a ordem seja a vida solidária e justa e o progresso a vida de alegria, paz e ternura?...
Parece uma utopia... 
Eu a quero... uma utopia ativa: a vida voando nos braços da liberdade; meu povo cantando e celebrando a justiça e a igualdade...
Nós, que fomos por tanto tempo o quintal do mundo... iniciaremos um novo ano e nele, eu quero a vida brotando e florindo na ternura encantada das manhãs quando orvalho perfuma o tempo e o vento carrega a fecundação da alegria no alvorecer das flores que abrem e na candura dos passarinhos, que livres, voam e cantam... eu quero para o meu país e para minha gente, a alegria e a paz que sonha o impossível na magia da utopia ativa que acorda o dia na serenidade e suavidade da vida no meu quintal...



4 comentários:

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

Amém ... amém ... Jorge
a musica para o seu texto agora é
Brasil Pandeiro ...
Um abraço
http://www.youtube.com/watch?v=rFKpWSZrdZg

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

ADILSON, MEU CARINHO E MINHA ALEGRIA DE APRENDER CONTIGO A VIVER, COM A CORAGEM DE POETIZAR A ESPERANÇA E OS SONHOS; ABRAÇOS TERNOS, JORGE

Anônimo disse...

Dr. Jorge este quadro, este veleiro.......assim gostaria de pintar...
A arte é fiel apaziguadora.
Um feliz 2012 e que a humanidade siga o caminho da lembrança que os outros também querem afeto.
Um beijo doce, Denise

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Denise, abraços com votos de paz e alegria.. Um Feliz 2012. Abraços, jorge