segunda-feira, 5 de novembro de 2012

SOCIEDADE DE AMIGOS: PAULO CECÍLIO; A POESIA NAS CORRENTES DE SANGUE DA VIDA VIOLADA...

MINHA HERANÇA
            Paulo Cecílio

deixarei dor

pra que doa também 
em seus dias de gula/a fome
de paz/o horror das crianças
violarei seu sono 

contaminarei vocês com minha loucura 
pra que delirem com nações inundadas 

e vulcões derretam sua harmonia

pra que não faltem lágrimas,
jogarei o mar na cara de voces!
se gostam de adrenalina
deixo um coração 

errando batidas

fica 
meu amor  testemperado 
loucura sem limites 
dias de ilusão e pinga
fígado abatido em brasas 

entre desejos e renúncias
deixo a solidão dentro de sua retinas 
meus dentes que morderão suas noites

da palavra censurada
sem dedos sem língua sem pátria 
levo comigo a memoria dos povos abatidos

em guardanapos ficam versos poemas que nunca escrevi.


pc02/nov/2012 arraial d'ajuda

Um comentário:

paulo disse...

É...